Bilionário chinês se torna o maior acionista da Daimler

Li Shufu

O bilionário chinês Li Shufu, presidente da Geely, acaba de se tornar o maior acionista da Daimler, desbancando a empresa de capital público, a Kuwait Investment Authority, que possui 6,8% das ações do grupo alemão.

O grupo asiático, do qual ele detém a maior parte, é dono da Volvo Cars desde 2009. Li Shufu agora controla 9,69% da Daimler AG, o equivalente a US$9 bilhões no valor atual das ações da companhia.

O bilionário chinês, o mais rico empresário da indústria automobilística do setor privado da China, com uma fortuna estimada pela Forbes no valor de US $ 17 bilhões, estava planejando se tornar o maior investidor da Daimler através da Geely. As ofertas, no entanto, foram negadas pelo grupo alemão, assim o investimento de Li Shufu tem natureza pessoal.

“Nós estamos muito felizes com Li Shufu e ganhamos outro investidor de longo termo que está convencido da estratégia e potencial futuro da Daimler”, declarou um porta-voz do grupo. “A Daimler conhece e respeita Li Shufu como um empreendedor chinês de competência e pioneirismo singulares”, completou o porta-voz.

Depois do anúncio, as ações da Geely Automobile Holdings subiram 6,5% na última semana.

A Geely não é um estranho nos negócios automotivos europeu. Além da Volvo Cars, o grupo é proprietário da fabricante britânica de carros esportivos Lotus e da empresa que faz os táxis pretos mundialmente famosos de Londres. Em dezembro investiu na AB Volvo, o fabricante de caminhão número dois do mundo, atrás da Daimler.

Em um discurso na conferência automotiva do Instituto CAR em Bochum, na Alemanha no início deste mês, Li contornou a especulação, dizendo simplesmente que a Europa “tem um papel muito importante para o desenvolvimento de marcas automotivas sob nossa liderança”. A compra seguiu uma abordagem inicial em novembro passado, quando a Li procurou comprar uma participação da Daimler como uma maneira de acessar a tecnologia Mercedes-Benz para carros elétricos e caminhões, incluindo a tecnologia da bateria, para ajudar a Geely a cumprir as metas chinesas de combate à poluição.

A Geely vê potencial na Daimler porque está desenvolvendo conexões de internet de alta velocidade para carros autônomos em um momento em que Li acredita que conexões de internet baseadas em satélites podem se tornar mais importantes para a indústria automobilística.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta