Portos de Santos e Lisboa assinam protocolo de cooperação tecnológica

portos de santos e lisboa

Um protocolo entre o porto de Santos e o porto de Lisboa promete uma parceria tecnológica e nova troca de experiências que deverá resultar em melhoria da eficiência operacional para ambos.

De acordo com Ana Paula Vitorino, ministra do Mar de Portugal, além das áreas portuárias, fazem parte dos objetivos do acordo a simplificação administrativa, a inovação tecnológica e a formação, de maneira geral, em todas as áreas marítimas. “O Atlântico nos uniu e voltará a aprofundar esses laços”, declarou.

A ministra esteve no país para acertar esse protocolo e para apoiar os portos e as empresas portuguesas que participaram da Intermodal South America 2017, em São Paulo. “Tive um pequeno encontro com o ministro Maurício (Maurício Quintella, dos Transportes, Portos e Aviação Civil), e acertamos um calendário para aprofundar as relações entre Portugal e o Brasil nesta área marítima, com o objetivo de assinar em setembro esse protocolo”, disse.

 

Ana Paula Vitorino, ministra do Mar de Portugal

“Queremos poder trocar experiências e aprofundar as relações no âmbito da biotecnologia azul, que é extremamente importante para a indústria naval, com toda a maquinaria que daí pode resultar”, assinalou Ana Paula Vitorino. “Temos que entrar nas relações comerciais do século XXI e apoiar, acima de tudo, aquilo que é inovador e que nos diferencia do resto do mundo. Temos que criar um cluster de língua oficial portuguesa em que nós sejamos os melhores do mundo”, complementou a ministra.

 

Para José Alex Oliva, diretor-presidente da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), administradora do porto de Santos, essa é uma parceria tecnológica e de trocas de experiências, que não envolve recursos, e é um termo de cooperação técnica para melhorar a eficiência tanto do porto brasileiro quanto do português.

O porto de Santos tem atualmente uma forte linha de comércio com a Europa e a porta de entrada de boa parte desses negócios é Portugal. O volume de trocas de cargas entre o porto de Lisboa e o de Santos tem crescido ano a ano e, segundo Oliva, esse fato chamou a atenção da administração do porto de Lisboa, que procurou os gestores do porto de Santos para estreitar o diálogo.

 

José Alex Oliva, diretor-presidente da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp)

Uma dessas aproximações deve acontecer até o final deste ano, com a conclusão da implantação do sistema VTMIS (Vessel Traffic Management Information System, ou Sistema de Gerenciamento e Informação do Tráfego de Embarcações). “É um sistema de controle de última geração e o porto de Santos está entrando em um novo patamar, poucos são os portos mundiais que têm esse sistema”, diz Oliva. De acordo com ele, essa solução vai permitir que a carga que chega para embarque no porto de Santos seja logo identificada e, imediatamente, essa informação seja enviada para o porto de Lisboa, onde eles já ficarão sabendo que a carga está no porto, em que navio vai embarcar, qual o prazo de chegada e, com isso, poderão se preparar para receber essa carga. O mesmo acontecerá com o porto de Santos que receberá todas as informações do porto de Lisboa e poderá se preparar para receber mais agilmente, e com maior eficiência, as cargas vindas de lá.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta