Transporte público terá R$ 3 bilhões para modernização da frota

mobilidade urbana

O ministro das Cidades, Bruno Araújo, lançou no dia 13 de dezembro, no Palácio do Planalto, o Programa de Renovação de Frota do Transporte Público Coletivo Urbano (Refrota 17). Na presença do presidente da República, Michel Temer, o ministro afirmou que por meio dessa iniciativa será possível gerar empregos, renovar a frota de ônibus e contribuir para o aumento da qualidade de vida das pessoas que utilizam o sistema. “Estamos atendendo todas as recomendações do presidente Michel Temer, nesse momento em que o Brasil procura de forma unida sair de uma profunda crise econômica, ajudando com ações que possibilitem reformular a situação do país”, disse.
O programa estabelece linha de financiamento de R$ 3 bilhões em recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para o financiamento de 10 mil ônibus. “O Refrota 17 significa a modernização de 10% da frota nacional estimada em 107 mil unidades. O setor gera 540 mil empregos diretos. Vamos ativar toda uma cadeia de produção e serviço”, reiterou Araújo.
O presidente Michel Temer falou sobre a iniciativa do ministro. “Parabenizo Bruno Araújo pelo lançamento do Refrota 17 e pela implementação de medidas que contribuam para o aquecimento da economia nacional”, ressaltou.

O Programa de Infraestrutura de Transporte e da Mobilidade Urbana (Pró-Transporte) visa financiar projetos de mobilidade urbana com recursos do FGTS. Atualmente, a frota nacional de ônibus do Sistema de Transporte Coletivo tem 1.800 empresas atuantes. Ao todo, mais de 30 milhões de brasileiros são transportados diariamente, segundo a Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU).
Outros atrativos como prazo de carência e garantias ainda serão discutidos entre o MCid, representantes do FGTS e demais interessados. O agente financeiro poderá ser escolhido pelo interessado no financiamento. A contrapartida mínima permanece em 5% do valor total do investimento.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta