ZF avança em segurança com soluções baseadas em blockchain

blockchain

A ZF tornou-se membro fundador da recentemente lançada Mobility Open Blockchain Initiative (MOBI). A MOBI é formada por um grupo de organizações líderes nos segmentos automotivo e tecnológico que procura estabelecer uma rede blockchain padronizada. Com a iniciativa, a ZF e outros fornecedores têm como objetivo utilizar tecnologias blockchain de comunicação para tornar a mobilidade mais eficiente, acessível e segura.

Para prevenir que hackers acessem e capturem a transmissão de dados sensíveis, os softwares dos veículos devem ser mais fortemente protegidos de futuros ataques cibernéticos. A tecnologia blockchain proporciona um meio seguro para as aplicações de mobilidade do futuro, pois com ela a transação dos dados é criptografada, descentralizada e resistente à manipulação.

Até hoje, no entanto, não houve acordo quanto a uma norma padronizadora para essa tecnologia. Por isso, a ZF se uniu como membro fundador a outras organizações líderes que fazem parte da MOBI. O objetivo do grupo é estabelecer normas de interoperacionalidade para os aplicativos blockchain e implantar um mercado multilateral aberto que inclua todas as formas de mobilidade.

Pioneirismo

A ZF foi um dos primeiros fornecedores automotivos Tier 1 a desenvolver aplicações de mobilidade baseadas em blockchain. O Car eWallet, por exemplo, permite que os veículos interajam com outras máquinas para realizar serviços técnicos e pequenas transações financeiras relacionadas a serviços de mobilidade, como estacionamento, pagamento de pedágios e recarga de veículos elétricos. Esta aplicação adquire um significado ainda maior à medida que carros mais automatizados, ou mesmo autônomos, cheguem ao mercado.

“Como uma das empresas globais líderes nas tecnologias automotivas, a ZF se empenha continuamente para tornar a mobilidade mais eficiente e conveniente. Participando da MOBI, podemos oferecer vantagens aos nossos clientes, desenvolvendo soluções seguras e eficientes no que se refere à futura mobilidade autônoma”, afirma Arwed Niestroj, vice-presidente dos hubs de Inovação Globais e Transformação Digital da ZF.

Uma rede blockchain padronizada para a mobilidade permitirá que os carros, a infraestrutura e os fornecedores de serviços se comuniquem eficientemente e transacionem diretamente uns com os outros, apoiando pagamentos em moeda digital de carro para carro, para autoridades tributárias e serviços de nuvem (cloud). Os contratos e a lógica podem ser repassados ao veículo ou à infraestrutura e executados localmente, em vez de centralmente. Isso elimina a complexidade e a interdependência associadas à conexão remota de tecnologias e serviços frequentemente patenteados de dados relevantes do veículo, proporcionando mais controle, acesso e dados valiosos sobre a mobilidade. Isto é algo que pode se tornar crítico à medida que a indústria adota serviços mais compartilhados e autônomos. Simultaneamente, a tecnologia blockchain pode ajudar a impedir fraudes, manipulações e ataques cibernéticos.

Trabalhando em conjunto para estabelecer normas de mobilidade blockchain, a indústria automotiva conseguirá acelerar a criação de um mercado melhor, mais seguro, interoperacional e de alto valor. Com o passar do tempo, a aliança se empenhará em abordar não só as necessidades dos carros e das motocicletas particulares, como também aquelas do transporte público e os serviços emergentes de compartilhamento de caronas, ajudando assim a reduzir o congestionamento e a poluição.

A MOBI é uma fundação sem fins lucrativos formada para acelerar a adoção e promover padrões em blockchain, bem como tecnologias relacionadas para o benefício do setor de mobilidade, consumidores e comunidades. A entidade e seus parceiros estão criando maneiras simples, padronizadas e digitais de identificar carros, pessoas e viagens, de pagar por serviços de mobilidade e de trocar e monetizar dados com segurança de forma a preservar os direitos de propriedade e a privacidade.

A MOBI está trabalhando com a maioria das grandes montadoras globais e com muitos players do ecossistema de mobilidade, além de empresas jovens, organizações sem fins lucrativos, governos, agências de trânsito e empresas de tecnologia. A organização está convencida de que, trabalhando juntos, os serviços de mobilidade podem se tornar mais eficientes, acessíveis, ecológicos, seguros e menos congestionados.

Trata-se de um órgão aberto e inclusivo que atua como um “convocador confiável” e parceiro de entidades no ecossistema emergente de serviços de mobilidade pagos, sob demanda, conectados e cada vez mais autônomos. O website da iniciativa é o www.dlt.mobi.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta