O uso de wi-fi nos ônibus paulistas

Ainda é tímida a iniciativa de disponibilizar o acesso gratuito à internet sem fio (wi-fi) nos ônibus urbanos de São Paulo. É uma promessa que está, inclusive, prevista nas novas regras do processo de licitação para o sistema de transporte público da cidade, mas ainda há um longo caminho a ser percorrido para que os usuários possam desfrutar desse benefício a bordo dos coletivos.

Dos 14.519 veículos da frota cadastrada no Sistema de Transporte Coletivo Municipal da cidade de São Paulo, somente 804 dispõem de equipamento wi-fi instalado, segundo informações da São Paulo Transporte (SPTrans). Esse número é ainda menor quando considerados os dados do Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo (SPUrbanuss) – que reúne as operadoras municipais – mostrando que atualmente apenas 576 ônibus urbanos operam com sistema de acesso gratuito à internet.

Os ônibus possuem um ou dois roteadores, dependendo do tamanho do veículo, com duas antenas para possibilitar melhor distribuição do sinal por todo o carro e por até cinco metros fora dele. A velocidade da internet, de 2,4 MB, foi adotada como suficiente para permitir acesso simultâneo e de qualidade para cerca de 50 passageiros. Acima disso, constata o próprio SPUrbanuss, a velocidade sofre redução. “É preciso levar em consideração que o sinal é transmitido pelas operadoras para um veículo que está sempre em movimento, ou seja, sofre interferências externas. Assim, a oscilação de sinal é normal”, argumenta o sindicato, através de sua assessoria de imprensa.

De acordo com a SPTrans, o novo edital de licitação do transporte coletivo público de passageiros da cidade de São Paulo – cujo edital está em fase final de elaboração e sua minuta está em debate na fase de audiências públicas – deverá prever que novos ônibus incorporados à frota municipal tenham, obrigatoriamente, entre outros itens, sinal wi-fi disponível aos usuários.

Para Francisco Christovam, presidente do SPUrbanuss, mais do que oferecer aos passageiros uma ferramenta de acesso à internet, a instalação do wi-fi nos veículos deve ser vista como um importante canal de comunicação entre as empresas operadoras e os clientes, permitindo a obtenção de informações operacionais, como tipos de viagens e horários, que possam ser usadas na melhoria da qualidade do serviço de transporte por ônibus.

Wi-fi nos ônibus da Metra

Enquanto isso, algumas empresas operadoras do transporte público na região metropolitana já tomaram a frente com iniciativas próprias para que os usuários estejam conectados e possam trabalhar ou se distrair com a internet gratuita durante a viagem. Um desses exemplos é a Metra Transportes, operadora do corredor metropolitano São Mateus–Jabaquara que liga as zonas leste e sul da cidade e sua extensão Diadema–Brooklin.

 

 

Atualmente, cerca de 42% da frota de 270 veículos da Metra conta com wi-fi 4G. A iniciativa começou em 2013, quando foram equipados os primeiros ônibus, e vem se expandindo paulatinamente.

“A comodidade da internet é mais um importante diferencial da Metra, sempre focada na inovação. O serviço de wi-fi 4G está em expansão e o objetivo é ampliar cerca de 10% ao ano para, em um futuro breve, oferecer em 100% dos nossos veículos”, afirma Carlos Batista, coordenador de planejamento do CCO (Centro de Controle Operacional) da Metra Transportes.

Outros benefícios ao usuário também fazem parte do foco da Metra como disponibilizar sistemas de ar-condicionado, que hoje já estão em 90% da frota, além de suspensão a ar, que proporciona maior conforto aos viajantes e ao motorista, e janelas com vidros colados, que resultam em menores níveis de ruído interno.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta