Volvo vende 200 ônibus articulados para operador de Santiago do Chile

Ônibus articulado Volvo

O modelo é um chassi com entrada baixa, capacidade para 180 passageiros, motor traseiro de 8 litros e padrão de emissões Euro 6, conforme atualmente exigido pela cidade de Santiago. Produzidos na fábrica da Volvo na Suécia, os 200 ônibus articulados estão sendo encarroçados pela unidade fabril da Marcopolo na Colômbia, na cidade de Cartagena, e posteriormente seguirão para o Chile.

Os 200 ônibus articulados estão sendo encarroçados pela unidade fabril da Marcopolo na Colômbia

Uma das maiores empresas de transporte da capital chilena, a Subus já soma 320 novos veículos Volvo somente nestes dois últimos negócios, realizados num período de menos de um ano. Os ônibus vão rodar na chamada Rede Metropolitana de Mobilidade (RED), o antigo Transantiago.

Um dos mais importantes sistemas organizados de transporte coletivo urbano da América Latina, a RED tem atualmente uma frota ao redor de 6.200 ônibus pesados, sendo 2.850 da marca Volvo, já com os 200 novos articulados negociados agora. “Somente a Subus soma 1.250 ônibus Volvo. Esta venda consolida a relação comercial com a Subus e confirma a confiança em nossa marca.”, destaca José Antonio Margalet, diretor comercial de ônibus da Volvo Chile.

A RED é um sistema de transporte estruturado e com grande sucesso em Santiago, uma das cinco mais populosas metrópoles do continente e maior cidade do Chile. Ela integra ônibus, metrô e trens, permitindo o deslocamento nos 32 distritos da capital e sua região metropolitana, com o pagamento de um bilhete único, com validade de duas horas após o primeiro embarque. Cerca de 6,2 milhões de usuários acessam o sistema diariamente.

Mais limpos e seguros

“A Volvo atende a um pedido específico da capital”, diz Alexandre Selski, diretor de vendas estratégicas da Volvo Buses na América Latina. Os novos ônibus da Volvo são mais limpos e também mais seguros. Equipados com motores Euro 6, eles atendem aos requisitos ambientais impostos pelas autoridades de Santiago, uma cidade localizada num vale circundado por montanhas, uma posição geográfica que traz dificuldade para a dispersão dos elementos particulados no ar. Por isso a necessidade de veículos mais limpos.

Os gestores da frota podem também ativar o controle automático de velocidade Volvo, dispositivo que usa a conectividade por GPS para identificar trechos críticos, com altos índices de acidentes, e limitar a velocidade máxima independente da ação do motorista. Aprovada após um ano de uso em Curitiba, no Brasil, onde diminuiu em 50% as colisões com ônibus no BRT local, essa tecnologia é agora de série para ativação em todos os veículos pesados da marca no continente.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta