Volkswagen prevê mercado positivo em 2020 para o novo Volksbus 22.280 ODS

Volksbus 22 280 ODS

O mercado de ônibus apresentou recuperação ao longo de 2019 e, ao que tudo indica, deverá manter-se em crescimento em 2020. É nesse cenário que a Volkswagen Caminhões e Ônibus trabalha seus projetos para o próximo ano, inclusive o início de comercialização de seu novo ônibus urbano de 15 metros com terceiro eixo dianteiro, já antecipado pelo portal FutureTransport em agosto, quando o veículo foi exposto em avant-première – com carroceria Apache Vip da Caio Induscar –, durante uma feira de ônibus organizada pela Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU), em Brasília (DF).

Chamado de Volksbus 22 280 ODS, o novo ônibus foi idealizado para atender a operações de alta demanda. Isto porque, com o terceiro eixo na frente, esse urbano poderá carregar 22 toneladas e um número maior de passageiros já que a carroceria pode ser configurada com um salão dianteiro mais amplo. A capacidade está estimada para 115 passageiros, sendo 40 sentados, 74 em pé e um cadeirante. Outra vantagem para o operador é que como os dois eixos esterçam, isso melhora a dirigibilidade para manobrar o veículo porque reduz o arrasto das rodas, o que também diminui o desgaste dos pneus.

detalhe do Volksbus 22 280 ODS

A montadora está chamando o modelo de “superônibus”. Seu projeto incorporou suspensão pneumática, que possibilita maior conforto a bordo para passageiros e motorista, principalmente em terrenos mais acidentados. O motor é MAN D08 de 277 cavalos e a transmissão é ZF seis marchas.

O Volksbus 22 280 ODS fica posicionado em uma faixa intermediária e a intenção é conquistar clientes que atualmente usam carrocerias de 13,2 m, ou de 12,5 m, e que estão com a demanda alta, precisam crescer, mas não tanto a ponto de adquirirem um articulado.

O Volksbus 22 280 ODS também poderá atender às necessidades em linhas com grande demanda nos horários de pico, onde o operador pode usar o veículo de 15 m para substituir dois ônibus menores. Além disso, o modelo usa o mesmo eixo do Volksbus 17.260, ou seja, o cliente poderá usar os mesmos componentes e peças que já estão disponíveis em sua linha na manutenção.

Otimismo para 2020

A expectativa de mercado para o novo ônibus é grande, não só porque o modelo promete melhor custo-benefício, com menor consumo de combustível em relação a outros veículos desse segmento, mas também porque os indicadores mostram que o mercado será positivo no próximo ano. “Prevemos que em 2020 o mercado deve continuar no caminho da retomada, com expectativa de melhora do cenário econômico e um PIB mais robusto”, projeta Jorge Luis Saab Carrer, gerente-executivo de operações comerciais e pedidos especiais de ônibus da VWCO. Ele destaca ainda outros indicadores para esse otimismo, como a redução no custo do capital com a queda da taxa básica de juros e a diminuição da inadimplência. Além disso, o envelhecimento da frota nacional, causado pelos anos de crise que fizeram cair a compra de ônibus, acaba levando à necessidade inadiável de uma renovação dos veículos.

Na avaliação de Carrer, 2019 foi um ano bom para o mercado de ônibus que conseguiu “sair do buraco”. A economia nacional ajudou, foi um ano positivo, com crescimento do PIB e a Bolsa em alta com registro de índices históricos. A situação política também passa por motivações importantes, como o acordo comercial entre Mercosul e Europa, que incentiva a indústria a se preparar; a aprovação da reforma previdenciária e o progresso na reforma tributária.

“Isso se reflete em números. O mercado cresceu 40% de janeiro a novembro de 2019, sobre igual período de 2018, e a VW cresceu 74%. É o quarto ano seguido de recuperação da empresa”, salienta o executivo. De janeiro a novembro, a VWCO vendeu 5.087 ônibus, 74% a mais que os 2.924 emplacados em igual período de 2018, de acordo com levantamento da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

Ele acredita que o negócio ônibus é um dos principais segmentos em que a empresa pode crescer em 2020. A montadora detinha uma participação de mercado em torno de 16%, em 2016, e, este ano, está com 26,8% de market share, com recuperação registrada em todas as áreas em que atua. O maior volume de vendas foi para o mercado de São Paulo, com a comercialização de 1.331 unidades no período. E o maior percentual de market share ficou em Goiás, que se destacou com 58% de participação e venda de 381 unidades. A linha Volksbus tem atualmente tem 17 modelos e os preferidos dos clientes são o micro-ônibus 9.160 OD e o 17.230 OD.

Segundo Carrer, o ano marcou também a retomada de segmentos que estavam estacionados, como o de fretamento, que nos últimos dois ou três anos ficou praticamente inerte e em 2019 voltou a comprar ônibus. Colaboraram ainda para a recuperação das vendas este ano, licitações recentes como a de São Paulo, que finalmente superou seis anos de trâmites, e o programa federal Caminho da Escola, que manteve licitações para compra de ônibus para o transporte escolar de alunos da zona rural.

Eletrificação

Outro ponto que está no radar da montadora é a eletrificação e, nesse sentido, a empresa montou uma plataforma para estudo de múltiplas configurações de alternativas que podem ser adotadas no conceito de motorização elétrica para ônibus.  A principal aposta da VWCO para o ônibus elétrico é um modelo e-flex híbrido que faria uma espécie de transição até a eletrificação total. Esse projeto prevê a possibilidade de uso de diferentes combustíveis no motor a combustão do ônibus híbrido, entre eles etanol, gasolina, gás e diesel.

Caminho da escola

A última licitação do ano do programa Caminho da Escola contemplou a VWCO com três lotes que somam 3.600 ônibus, de um total de 6.200 unidades que faziam parte da licitação. A ata foi assinada no dia 19 de novembro. Segundo Adriana Cecconello, supervisora de vendas ao governo da VWCO, uma equipe especializada da montadora terá agora a missão de sair em busca dessa verba que o governo vai liberar para as prefeituras adquirirem os ônibus. “São cerca de 5.570 municípios onde podemos buscar essas verbas, além do Governo Federal”, comenta Adriana. Desde que o Caminho da Escola começou, em 2007, até hoje foram licitados por volta de 40 mil ônibus escolares e, de acordo com Adriana, a VWCO já entregou mais da metade desse volume. 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta