Volare Access elétrico começa a operar em Curitiba

Volare Access-e

A Prefeitura de Curitiba colocou em operação ontem, dia 3 de outubro, o Volare Access-e, miniônibus com motorização 100% elétrica, sem emissão de poluentes. O modelo, resultado da parceria da Volare, unidade de negócios da Marcopolo, e da BYD, líder mundial em tecnologia de motorização elétrica, atenderá durante um mês a linha Circular-Centro e é o primeiro veículo desenvolvido no Brasil com esta configuração, com piso baixo, motor traseiro e suspensão pneumática.

 “É um veículo moderno, sem emissão de gás carbônico, óxido de nitrogênio nem da fuligem dos veículos tradicionais movidos a Diesel, confortável e que tem a cara de Curitiba”, disse o prefeito Rafael Greca durante a viagem feita na terça-feira (2/10) para conferir as características do veículo.

 “Pedi que a Urbs avalie a possibilidade de implantarmos uma linha com ônibus movidos a energia elétrica. Se tudo for aprovado, vamos encomendar quatro veículos inovadores”, completou o prefeito.

 O Volare Access-e tem autonomia de 250 quilômetros e na linha Circular-Centro rodará cerca de 160 quilômetros por dia. O ônibus elétrico circulará das 6h20 às 19h30, no sentido horário da linha Circular-Centro.

 Segundo João Paulo Ledur, diretor do Negócio Volare, a adoção do Access-e permite reduzir a poluição ambiental e elevar o padrão de qualidade do transporte coletivo. Veículos 100% elétricos no transporte público é uma alternativa sustentável e eficiente, já utilizada em outras cidades do País, e que a cada dia se mostra mais eficiente e econômica.

O veículo tem 9.150 mm de comprimento, 3.380 mm de altura e 2.430 mm de largura, com piso baixo, tração traseira e capacidade para 37 passageiros (22 sentados e 15 em pé). O powertrain é BYD, com dois motores de 90 kW de potência e 450 Nm de torque máximo e possui bateria com duração de 1h30 até 3 horas, com autonomia de 250 km. Para tornar mais eficiente a utilização da energia, o novo veículo conta ainda com sistema de regeneração da energia da frenagem.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta