Vendas de ônibus devem crescer até 25% sobre o ano passado

O mercado de ônibus deverá encerrar 2019 com vendas entre 20% e 25% acima das cerca de 15 mil unidades comercializadas no ano passado. De janeiro a julho, foram emplacados 11.300 ônibus, o que representou aumento de 60% sobre igual período de 2018, mas até o final do ano a tendência é de redução desse percentual de crescimento até atingir o patamar esperado. A previsão foi feita por Walter Barbosa, diretor de vendas e marketing de ônibus da Mercedes-Benz do Brasil, durante a exposição de ônibus que aconteceu em Brasília, paralelamente ao 33º Seminário Nacional da NTU – Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos. A Mercedes-Benz tem 52% de participação no mercado nacional de ônibus. 

Para o evento, a montadora levou seu ônibus superarticulado O 500 UDA, para 180 passageiros, de 23 metros de comprimento com piso baixo, que pode ser configurado também com piso alto (O 500 MDA) e com 21 metros de comprimento. O veículo tem despertado interesse em sistemas de transporte público de grandes cidades com corredores exclusivos e sistemas de BRT (Bus Rapid Transit).

vendas de ônibus - O-500 UDA piso baixo

Nesse segmento de ônibus urbanos, Barbosa destaca que a Mercedes-Benz tem investido muito em tecnologias para reduzir o custo operacional dos clientes. Uma das mais recentes, lançada para a série O 500, é o sistema de recuperação de energia elétrica (RKM), que ajuda a reduzir o consumo de combustível e diminui a emissão de poluentes. “O RKM é um ultracapacitor que trabalha em conjunto com o sistema de alternadores do veículo e proporciona redução no consumo de combustível. Toda vez que o veículo está em um processo de desaceleração, esse ultracapacitor recarrega energia e, no momento da aceleração, ele libera energia. Isso reduz o esforço do alternador e, consequentemente, reduz o consumo de combustível”, explica o executivo.

Outra tecnologia implementada pela montadora em ônibus urbanos é o sistema de desligamento automático do motor, chamado de EIS (Engine Idle Shutdown), que também ajuda a economizar combustível e a emitir menos poluentes. Esse sistema desliga automaticamente o motor do veículo se o ônibus ficar parado com o motor ligado por um longo período sem que o motorista acelere ou acione o freio de serviço e com o câmbio no ponto morto e freio de mão acionado. É uma situação que costuma acontecer com ônibus estacionados em garagens e terminais urbanos.

O urbano da Mercedes conta também com freios a disco em todas as rodas, freios ABS + ASR, freio-motor adicional Top Brake, painel com indicação de consumo e faixa verde variável (Econômetro), tacógrafo digital e volante multifuncional com teclas.

Além da linha O 500, a Mercedes-Benz comercializa os urbanos da linha OF, tanto o 1519 quanto o 1721. Na linha de 17 toneladas são quatro versões da marca: o 1721 com e sem suspensão pneumática, e o 1724 com e sem suspensão pneumática.

Combustíveis alternativos

Em relação à motorização dos ônibus, Barbosa assinala que a Mercedes-Benz acredita bastante na tecnologia do HVO (Hydrotreated Vegetable Oil ou Óleo Vegetal Hidrotratado). “A ideia é, nos próximos anos, conseguir parceiros para produzir esse combustível. É um biocombustível hidrogenado, capaz de reduzir em até 80% o CO2 e entre 15 e 16% o NOx e material particulado. É uma excelente alternativa para ser usado como uma ponte até a consolidação dos veículos elétricos”, diz o executivo. Ele afirma que a montadora já está em discussões avançadas com alguns parceiros de negócio para produção desse combustível no país.

Sobre os elétricos, a Mercedes-Benz participa, no país, de uma parceria com a empresa Eletra para ônibus elétricos. “Mas a utilização dessa alternativa ao diesel também terá que passar por infraestrutura adequada, ser economicamente viável para não onerar a população que utiliza transporte público e ter uma política de planejamento no País, a fim de garantir essa opção muito importante no futuro do nosso transporte coletivo.”

Caminho da Escola

Segundo Barbosa, a Mercedes-Benz participou da licitação do dia 20 de agosto para o fornecimento de ônibus rurais escolares para o Programa Caminho da Escola. Ao todo, são perto de 6 mil veículos nessa fase do programa governamental. “A Mercedes-Benz participou de três lotes: ORE 1, ORE 2 e ORE 3. Só não participamos do 4×4”, comenta o executivo. Ele acredita que este ano deverão ser emplacados cerca de 3.500 ônibus escolares para o Caminho da Escola que existe desde 2007.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta