Entre tantos dados positivos, caminhões surpreendem em janeiro

vendas de caminhões surpreendem em janeiro

Foi de caminhões o resultado mais expressivo de vendas em todos os segmentos da indústria automobilística nacional no mês de janeiro. Os veículos de carga apresentaram aumento de 54,8% em licenciamentos comparado a janeiro de 2017, quando a base estava muito fraca, um total de 2,9 mil unidades naquele primeiro mês de ano – 4,6 mil neste 2018.

Para o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Antonio Megale, o agronegócio e o varejo são os principais setores que vêm puxando a retomada na indústria de caminhões, que registraram nos últimos três anos uma das piores fases, senão a pior, desde a instalação aqui nos anos de 1950.

Na opinião de Megale, a perspectiva de uma nova redução da taxa de juros Selic nesta semana, devendo registrar os percentuais mais baixos desde sua criação, vai trazer ainda mais ânimo para os fabricantes, que, desde 2017, assistem uma trajetória ascendente de vendas. “Com juros mais baixos, as prestações ficam mais baixas e cabem no bolso do consumidor. Outro lado positivo é que os juros menores evitam a necessidade de subsídios, como a taxa Finame.”

Em veículos de passeio e comerciais leves, os números também continuam mostrando a recuperação da indústria automobilística, que representa cerca de 20% do Produto Interno Bruto (PIB) de todos os setores industriais instalados no Brasil.

Em janeiro de 2018, foram comercializadas 181 mil unidades ante a 147 mil no mesmo mês do ano passado. “O resultado de janeiro comprova que a indústria vem numa escalada de recuperação, gerando maior confiança no mercado interno por parte das montadoras”, afirmou Megale.

Em relação a janeiro de 2017, as exportações também mostraram um ótimo desempenho, registrando crescimento de 23,6% no primeiro mês de 2018. Os países da América Latina são os principais destinos dos veículos fabricados em solo brasileiro.

Vendas internas e externas em alta refletem uma produção cada vez mais robusta para a indústria aqui instalada. No primeiro mês, houve crescimento de 24,6% se comparado com o mesmo período do ano passado. Foram 216 mil unidades ante 174 mil.

Em janeiro, fábricas e concessionárias acumulavam estoque de veículos compatível para 38 dias de vendas no atual ritmo de comercialização. A Anfavea considera esse número bastante confortável, dentro do que considera ideal.

Para fechar o balanço positivo, o emprego na indústria automobilística cresceu 1,7% em janeiro, passando de 126,8 mil postos de trabalho para 129 mil. Entre tantos bons indicativos, talvez esse seja o melhor.

A Anfavea espera um crescimento de 11,3% nas vendas em 2018. Os números em janeiro, tradicionalmente um dos meses mais fracos de vendas, talvez obrigue a entidade a rever para cima logo, logo essa projeção.

Isso se a política não causar nenhum sobressalto.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta