Comerciais leves da Renault terão versões movidas a hidrogênio

Previsto para entrar no mercado no primeiro semestre de 2020 na Europa, o utilitário Renault movido a hidrogênio, MASTER Z.E Hydrogen, vai triplicar sua autonomia, passando de 120 km para 350 km.

Renault movido a hidrogênio

Disponível nas versões furgão (2 versões) e chassi-cabine (2 versões) o Renault movido a hidrogênio virá equipado com 2 tanques do combustível localizados sob a carroceria sem restringir o volume de carga, de 10,8 m3 a 20 m3, com um adição de peso de 200 kg.

Testada desde 2014, a tecnologia de hidrogênio do Grupo Renault foi desenvolvida em parceria com a Symbio, subsidiária do Grupo Michelin. Os veículos são equipados com uma célula de combustível que prolonga a autonomia, garantindo uma potência elétrica e térmica de 10 kW, o que aumenta a autonomia do Renault MASTER Z.E. Hydrogen e do Renault KANGOO Z.E. Hydrogen para mais de 350 km. Outra vantagem do hidrogênio é o tempo de recarga, de apenas 5 a 10 minutos. O hidrogênio permite atender as necessidades de profissionais ainda não contempladas pelos veículos elétricos, principalmente para viagens de longa distância.

Até o fim de 2019, o Renault KANGOO Z.E. Hydrogen oferecerá a melhor autonomia real entre os furgões compactos elétricos do mercado, com 370 km, oferecendo um volume de carga de 3,9 m3, com um adicional de 110 kg, este veículo deverá estar disponível na França pelo preço de € 48.300  sem impostos (incluindo a compra da bateria e sem contar os bônus ecológicos).

“O Grupo Renault completa sua linha de veículos utilitários elétricos com o lançamento do Renault MASTER Z.E. Hydrogen e o Renault KANGOO Z.E. Hydrogen. Com eles, os clientes profissionais terão toda a autonomia necessária para os trajetos de longa distância e um tempo de recarga recorde. Mas os benefícios vão muito além, pois o Renault MASTER Z.E. Hydrogen e o Renault KANGOO Z.E. Hydrogen poderão rodar com uma energia a cada dia mais descarbonizada, respeitando o meio ambiente e oferecendo todo o conforto de condução da motorização elétrica”.
Denis Le Vot, diretor da Aliança – divisão de veículos utilitários Renault-Nissan

Os veículos elétricos movidos a hidrogênio funcionam com uma célula de combustível, que combina o hidrogênio de seus tanques com o oxigênio do ar, para produzir eletricidade visando alimentar o motor elétrico. A principal vantagem é que estes veículos respondem aos novos desafios ambientais e de mobilidade urbana. Além disso, oferecem maior autonomia, uma recarga mais rápida com o hidrogênio (de 5 a 10 minutos) e facilidade de manutenção. Estas vantagens fazem dos veículos utilitários elétricos movidos a hidrogênio adaptados às exigências e usos intensos dos clientes profissionais nos grandes centros urbanos e nas periferias, se tornando ideal para um uso em serviços de transporte e logística, serviços públicos municipais e estaduais, entrega rápida ou especial, entre outros.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta