Tecnologia oferece ferramentas contra a crise no TRC

Um modelo de gestão afinado com as novas tecnologias mundiais. Esse é um dos caminhos para superar a crise econômica que afeta o transporte rodoviário de cargas, afirma o presidente do Setcepar, Marcos Battistella. “Momentos de crise exigem que se saia do quadrado. O transporte rodoviário de cargas é muito dinâmico. Por isso, devemos aproveitar o avanço das tecnologias e as novidades na área. As transportadoras precisam estar inseridas em um ambiente de inovação, acompanhar as tendências e investir no que o mercado oferece”, comenta.

Marcos Battistella: "Momentos de crise exigem que se saia do quadrado. Por isso, devemos aproveitar o avanço das tecnologias e as novidades na área"
Marcos Battistella: “Momentos de crise exigem que se saia do quadrado. Por isso, devemos aproveitar o avanço das tecnologias e as novidades na área”

De acordo com Battistella, a Tecnologia da Informação (TI) vem sendo utilizada no transporte rodoviário de cargas como uma das principais ferramentas do setor. Com softwares que ajudam motoristas e transportadoras a obter uma operação logística mais ágil, as novidades ajudam na redução de custos. “Os caminhões estão cada vez mais tecnológicos, rápidos e eficientes. Embora seja necessário um considerável investimento inicial, a redução de custos no futuro é ainda mais significativa. Essas novas ferramentas promovem o controle de estoque, administram fluxos de entregas, possibilitam alternativas de trajetos com mapas digitalizados, dificultam o roubo de carga, entre diversas outras vantagens”, indica Battistella.

Mas é bom ressaltar que o emprego crescente de tecnologia impõe mudança cultural: as transportadoras precisam investir na educação de seus motoristas e colaboradores. “De nada adianta investir em veículos supertecnológicos se o empresário não capacitar seus colaboradores. É necessário oferecer cursos à distância, seminários e palestras para que os motoristas se qualifiquem e possam aproveitar todos os novos recursos”, orienta.

Ainda segundo o presidente do Setcepar, apesar de algumas empresas apresentarem dificuldades para implementar novos modelos de gestão e logística, a tendência é que a tecnologia chegue cada vez mais perto do transporte rodoviário de cargas. “As novas tecnologias não apenas reduzem custos, mas modernizam o setor e promovem um investimento na economia no país. Então, é um progresso sem chance de retorno”, afirma.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta