Suzano opera com hexatrens no Mato Grosso do Sul

hexatrem volvo

Concebido para rodar em estradas de terra, em meio às plantações de eucaliptos da Suzano em Três Lagoas (MS), o hexatrem faz parte do plano de interligação das plantações, de forma que o trânsito de caminhões no asfalto seja o menor possível.

hexatrem

Com impressionantes 52 metros de extensão e capacidade para transportar até 200 toneladas por viagem, esse “trem sobre rodas” é tracionado por um Volvo FMX equipado com um propulsor D13 de 540 cavalos de potência e torque de 2.600 Nm (entre 1050 e 1450 rpm), chassis com longarina dupla de fora a fora, eixo traseiro com redução nos cubos, carcaça de eixo fundida e cardan super-resistente, possibilitando, assim, a capacidade máxima de tração de até 200 toneladas, 70 toneladas a mais do que o FMX de série.

O caminhão é uma solução customizada pela Volvo para esta operação específica.

“O FMX transporta mais no mesmo tempo”, diz Alan Brehmer, gerente de logística e PCP (Planejamento, Controle e Produção) florestal da Suzano no Mato Grosso do Sul. “Em poucos meses de testes já é possível dizer que o FMX é mais preparado para o off-road. O consumo de combustível é muito eficiente. É um cavalo-mecânico leve e também tem um reforço de fábrica no chassi e no powertrain, com uma caixa de câmbio com duas marchas reduzidas e os eixos traseiros preparados para suportar até 200 toneladas”, afirma. Outro ponto que o executivo destaca é a ergonomia da cabine. “Os motoristas elogiam. É um caminhão de fácil dirigibilidade”.

Os veículos são equipados com caixa de câmbio eletrônica I-Shift de 14 marchas, com duas marchas adicionais super-reduzidas, que facilitam o arranque de composições super pesadas em condições difíceis, como via irregular e rampas.

“É realmente um trem sobre rodas, com 52 metros de extensão”, afirma Alcides Cavalcanti, diretor comercial de caminhões da Volvo. Anteriormente, a operação com uma composição pentatrem transportava 79% mais toras de eucalipto em comparação aos tritrens. Com o Hexatem, o conjunto possui capacidade para transportar até 200 toneladas, o que representa um ganho de produtividade de 127% em relação aos tritrens e de 27% em relação aos pentatrens.

Com a utilização dos hexatrens, a Suzano tirou das rodovias 35 tritrens, com ganhos operacionais e ambientais.

Como parte deste projeto de interligação, em 2017 a empresa inaugurou um túnel off-road de quatro metros de largura, seis de profundidade e 22 metros de extensão sob a rodovia BR 158, interligando áreas da plantação, reduzindo, assim, em mais de 30% o tráfego de carretas nas rodovias da região.

Inicialmente, a Suzano utilizou os pentatrens, composições com cinco carretas interligadas. Como as bases de curvatura do hexatrem seguem os padrões dos pentatrens, não foram necessárias adaptações nas estradas para os novos equipamentos.  

A Suzano conta, atualmente, com 12 hexatrens trabalhando apenas dentro das plantações e este número deve chegar a 19 até o final do primeiro semestre de 2020

O hexatrem, uma composição com seis semirreboques, foi desenvolvido pela Facchini e um dos principais desafios superados pela empresa foi levar a hidráulica do cavalo-mecânico até o último dos implementos, a quase 50 metros de distância.

Sobre a Suzano

A Suzano, empresa resultante da fusão entre a Suzano Papel e Celulose e a Fibria, é uma das líderes mundiais na fabricação de celulose de eucalipto e uma das maiores fabricantes de papéis da América Latina. A companhia exporta para mais de 80 países.

A indústria de celulose do Brasil é a maior do mundo em exportação e a 2ª em volume de produção, atrás apenas de Estados Unidos. Já a indústria de papel é a 9ª no ranking mundial. Em 2018 produziu 21 milhões de toneladas.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta