Schaeffler leva às ruas tecnologia sustentável da Fórmula E

formula e

A indústria automobilística sempre se utilizou das pistas de corrida transformado-as em um grande laboratório para o desenvolvimento de soluções que mais tarde serão usadas nos automóveis de linha. E o mesmo agora acontece com a eletromotricidade.

Parceira da equipe Audi Sport ABT Schaeffler na Fórmula E, categoria de automobilismo organizada pela FIA com carros exclusivamente elétricos, a Schaeffler também utiliza a competição como laboratório para as soluções limpas e de ponta, aumentando sua participação no movimento de transformação dos centros urbanos globais. Tendência que considera irreversível.

A empresa alemã desenvolveu todo powertrain da equipe. Um motor elétrico ABT Schaeffler MGU 01 com a potência máxima limitada a 200 kw (270 cv), usados nos treinos de qualificação. Nas corridas só é permitido usar até 150 kw (202 cv), para economizar as baterias.

O objetivo da empresa foi entregar um componente com a melhor eficiência possível, alta confiabilidade e controle térmico ideal. Também foi desenvolvida uma nova transmissão e foi otimizada a suspensão, entregando maior rigidez e melhorando a cinemática. Um software gerencia a interação entre todos os componentes.

“A mobilidade só pode ser sustentável se atingir toda a cadeia de energia, desde a geração, conversão e armazenamento, até soluções técnicas para uma ampla gama de aplicações. Por isso, a companhia possui uma série de metas para 2020, divididas em quatro áreas estratégicas: Veículos Ecológicos, Mobilidade Urbana, Mobilidade Interurbana e Cadeia Energética”, aponta Cláudio Castro, Diretor Executivo de Pesquisa e Desenvolvimento da empresa. “Nossa participação na Fórmula E nos ajuda a alcançar uma melhor compreensão do ambiente e dos sistemas envolvidos na mobilidade elétrica”, completa.

Das pistas da categoria para as ruas das cidades

Com o expertise das competições a empresa desenvolveu soluções que vão desde módulos híbridos e eixo elétrico, até a roda elétrica, que podem ser utilizadas em veículos híbridos e carros totalmente elétricos. Aplicadas em conjunto, as tecnologias são capazes de reduzir em 10% as emissões de CO2.

 

 

O ACTIVeDRIVE, por exemplo, é um carro conceito, totalmente elétrico, com tração nas quatro rodas montado sobre a base de um Skoda Octavia Scout. Uma das inovações do veículo é o diferencial elétrico ativo (eDifferential) que está instalado nos eixos dianteiro e traseiro. Este componente combina a propulsão elétrica com a opção de controlar a potência em cada roda individualmente. Isto permite a vetorização de torque – a distribuição de torque entre as rodas direita e esquerda, o que melhora a dinâmica, a segurança e o conforto na direção. O uso de dois diferenciais elétricos eDifferential permite a distribuição longitudinal das forças de propulsão

A Schaeffler também desenvolveu uma solução de sistema modular para veículos híbridos e elétricos. A linha de produtos começa com os eixos elétricos de design paralelo ou coaxial. O módulo permite uma transmissão extremamente compacta, deixando bastante espaço para o motor. A configuração básica pode ser ampliada, adicionando elementos funcionais, como bloqueio de estacionamento.

Uma segunda marcha é muitas vezes necessária, particularmente em veículos híbridos plug-in, que exigem operação totalmente elétrica até 120 km/h e velocidade final alta. O eixo de duas velocidades desenvolvido pela Schaeffler permite que a dinâmica longitudinal do veículo seja otimizada, usando um componente de distribuição e vetorização de torque. Esta função é acionada por uma transmissão integrada e um motor elétrico projetado para 7 quilowatts.

É visão da empresa compor produtos híbridos e elétricos para a indústria automotiva, sempre defendendo o ponto de vista sustentável para toda a cadeia de energia, do poço à roda (“well-to-wheel”). Para tanto, baseia-se não só na engenharia de ponta para sistemas de acionamento elétrico, mas também em conhecimentos avançados para sistemas de transmissão e tecnologia de combustão interna eficiente.

A eficiência e, portanto, a economia de combustível de veículos híbridos com arquiteturas elétricas de diferentes espécies (motor, powertrain, bateria, motor de combustão interna suplementar etc.), depende da integração perfeita de todos os componentes. E a experiência da Schaeffler em sistemas e autopeças ajudam significativamente na definição e projeto dessas soluções.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta