Scania lança nova geração de caminhões sustentáveis e sob-medida

Nova geração de caminhões Scania

A plataforma tecnológica da nova geração de caminhões Scania – lançada na quinta-feira (02/08) na América Latina, cerca de dois anos após seu lançamento na Europa –, foi classificada por Christopher Podgorski, presidente e CEO da Scania Latin America como um “computador sobre rodas” que vai permitir a introdução das novas tecnologias de eletrificação e de automação dos veículos em alguns anos. “A eletrificação e os veículos autônomos virão, é inequívoco, a questão é quando elas serão competitivas com as soluções que encontramos nos dias de hoje”, afirmou Podgorski.

A nova geração Scania chega com um compromisso sustentável. A montadora tem disseminado a visão de que quer liderar a transformação dos sistemas de transporte e logística em soluções sustentáveis e pretende fazer isso de dentro para fora. Ela assumiu um compromisso público de reduzir em 50% a emissão de CO2 em todas as suas operações industriais e nas logísticas inbound e outbound de suas unidades fabris. “Estamos determinados a conquistar essas metas, no período de 2015 a 2025, em conjunto com parceiros de negócios e fornecedores. E queremos estender isso a nossos clientes, começando pela sustentabilidade econômica, com a tecnologia embarcada em nossa nova geração de caminhões”, disse Podgorski.

Essa transformação será gradual e inclui a introdução, já em andamento, do uso de biocombustíveis nos veículos Scania. “Vamos acelerar aqui, como já estamos fazendo na Europa, o uso do bioetanol, do biogás e do biodiesel”, revelou o executivo. A demanda por combustíveis limpos parte dos próprios embarcadores que cobram essa postura sustentável das transportadoras que, por sua vez, passam a contar com a ajuda dessas soluções da Scania. “Esse é o caminho gradativo da descarbonização do sistema de transporte”, reforçou o executivo.

É aí também que entra a necessidade de uma nova geração de caminhões que possa atender a essa demanda por veículos sustentáveis. A montadora passa a oferecer a possibilidade de soluções individualizadas e customizadas para cada cliente, com opções para 35 diferentes aplicações dentro da indústria de veículos comerciais pesados. “Uma solução única e específica para otimizar o custo de operação, melhorar a performance do negócio e maximizar a receita de nosso cliente”, explicou Silvio Munhoz, diretor comercial da Scania no Brasil.

Economia e inovações

As inovações introduzidas na nova geração prometem ao frotista uma economia de combustível de até 12% sobre a versão atual. Os novos motores já foram apresentados ao mercado no final do ano passado, são os propulsores de 450 e 510 cavalos, que participam desse total com uma redução de 8% no consumo. Foram desenvolvidas novas cabines cuja aerodinâmica proporciona uma economia de combustível de até 2% e as inovações do Scania Opticruise ajudarão o usuário a alcançar os outros 2% de redução de gastos com diesel. Segundo cálculos de Celso Mendonça, gerente de pré-vendas da Scania no Brasil, se considerado um caminhão típico de longa distância rodoviária, que roda 150 mil km por ano, a economia chega a mais de 9 mil litros de óleo diesel. Os motores passam a ser fabricados em um composto compactado de ferro e grafite (CGI), que duplica a resistência à fadiga, sem aumentar o peso do conjunto.

Celso Mendonça: “O mercado brasileiro já não aceita mais desperdícios encontrados nos caminhões seriados, por isso fizemos um caminhão sob medida, para focar na necessidade do cliente”.

Ainda no segmento de propulsores, o Brasil terá o privilégio de fazer a estreia mundial de um novo motor, de 540 cavalos. A gama de motores terá inovações nas potências 220, 280, 320, 410 e 500 cavalos. No segmento de combustíveis limpos, apresentam-se cinco novos motores sendo dois movidos a GNV/biometano e três opções para o bioetanol. “Será a primeira carreta movida a GNV/biometano do mundo”.

Outro ganho da nova plataforma é a introdução do lay shaft brake, um sistema de freio de eixos para as caixas Opticruise. “Graças ao freio do eixo, a nossa caixa de câmbio GRS905 realiza a troca em 0,4 segundos, o que significa que o tempo de mudança de marcha foi reduzido pela metade”, destaca Mendonça.

As cabines foram remodeladas por dentro e externamente para ficarem mais fortes, seguras e com melhor aerodinâmica. O assento do motorista foi reposicionado para melhorar a visibilidade e o painel foi rebaixado, resultando em ergonomia mais adequada e maior segurança. “Da linha atual P, G e R, passaremos de sete opções para 19 tipos de combinações variantes das novas cabines R, S, P, G e a XT para pisos irregulares. É um avanço muito grande para o cliente aumentar a redução de custos na operação. O desafio é criar um mix de cabines que pode oferecer as soluções e funcionalidades corretas para todas as aplicações e demandas”, explicou Munhoz. De acordo com ele, a nova cabine S é uma das principais novidades e oferece o diferencial do piso plano, que melhora o deslocamento interno do motorista. Serão 24 diferentes opções de cabine dentro do sistema modular. “O mercado brasileiro já não aceita mais desperdícios encontrados nos caminhões seriados, por isso fizemos um caminhão sob medida, para focar na necessidade do cliente”, acrescentou Mendonça.

A montadora passa a oferecer soluções individualizadas e customizadas para cada cliente. “Uma solução única e específica para otimizar o custo de operação, melhorar a performance do negócio e maximizar a receita de nosso cliente”, explicou Silvio Munhoz.

Outra inovação na nova plataforma é o lançamento do airbag lateral, acionado em casos de tombamento e que pode reduzir em até 20% o número de mortes em acidentes de tombamento.

Até a equipe de vendas está recebendo treinamento intensivo como preparação para comercializar a nova geração. “Nosso corpo de vendas inteiro vai passar por muitas horas de treinamento até a introdução definitiva da nova linha porque vamos mudar a forma de vender, saindo daquele modelo de vendedor que entrega uma cotação para um consultor de negócios, que vai sentar ao lado do cliente, discutir em profundidade a estrutura do negócio, entender a composição de receitas e custos para melhorar a performance econômica e garantir a sustentabilidade do negócio do cliente. Nossos clientes começam a despertar para essa necessidade”, acredita Munhoz. Será possível montar cerca de 500 alternativas de tipos de caminhões.

Início de produção

Os primeiros pedidos da nova geração podem ser feitos a partir de outubro. Em janeiro a Scania fechará sua fábrica do ABC para fazer a preparação para a nova geração; em fevereiro começa o processo de ramp up e em março inicia efetivamente a produção. Com todas as inovações desenvolvidas, os preços dos novos veículos deverão ficar de 10 a 15% acima dos valores dos produtos atuais.

Os veículos da nova geração desenvolvidos no Brasil já percorreram mais de 1 milhão de quilômetros de testes em campo, em condições severas, e alguns redesenhos tiveram que ser executados na versão original europeia. Até o início do próximo ano, quando começará a produção, os veículos já deverão ter percorrido quase 2 milhões de quilômetros. Os testes estão sendo realizados na prática em dez clientes da Scania, entre eles a Rápido ABC, a Botuverá Transportes, a Cordenonsi e o Grupo G10.

O investimento feito no país para o desenvolvimento da nova geração faz parte do plano de investimentos da montadora, de 2016 a 2020, de R$ 2,6 bilhões, dos quais já foram aplicados cerca de R$ 1,5 bilhão. Parte disto foi destinada à nova fábrica de cabines, que se encaixa no conceito de indústria 4.0, com 75 robôs operando. Segundo Podgorski, a montadora também se encarregou de desenvolver o supply chain nacional, com 14 novos fornecedores, ampliando a base de suprimento nacional.

Os novos veículos vão impulsionar também as exportações que este ano já estão em nível recorde. Pelos cálculos de Munhoz, 2018 deverá atingir produção de 20 a 21 mil unidades e cerca de 70% desse total será exportado para mais de 30 países.

Em uma ação de pré-lançamento da nova geração Scania, apelidada de The Journey, dois caminhões com a nova cabine S e com o motor XPI, com potência de 500 cavalos, partiram da fábrica de São Bernardo do Campo rumo a uma viagem de dois meses por quatro países da América Latina: Brasil, Argentina, Chile e Peru, com paradas em concessionários Scania para eventos de divulgação.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta