Renault investe US$ 144 milhões em eletrificação na China

Com um investimento de 128,5 milhões de euros (US $ 144 milhões), a Renault anunciou uma nova parceria na China ao adquirir uma participação de 50% na Jianglin Motor Electric Vehicles (JMEV).

Após um primeiro acordo, anunciado em dezembro de 2018, a Renault agora se torna um dos principais acionistas da JMEV.

E200N, modelo elétrico da JMCG
E200N, compacto elétrico da JMEV

Criada em 2015, a JMEV é uma subsidiária da Jiangling Motors Corporation Group (JMCG) e vendeu quase 500 mil veículos elétricos em 2018, tornando-se um player de destaque no mercado de veículos elétricos da China.

Essa cooperação faz parte da estratégia geral da JMCG e do Grupo Renault. Através desta joint venture, a Renault será capaz de expandir sua influência no mercado de veículos elétricos da China, enquanto o Jianglin será capaz de integrar e alavancar mais recursos, o que promoverá seu rápido crescimento no futuro.

“A China é um mercado chave para a Renault. Esta parceria no negócio de veículos elétricos com a JMCG irá apoiar o nosso plano de crescimento na China e as nossas capacidades de EV. Como pioneira e líder no mercado europeu de EV por 10 anos, vamos capitalizar nossa experiência em P & D, produção, vendas e serviços”, disse François Provost, vice-presidente sênior da região da China, Groupe Renault.

“Aderindo ao conceito de abertura e cooperação, o JMCG é uma das primeiras empresas nacionais a introduzir parceiros estratégicos internacionais. Em parceria com a Renault, a JMEV será capaz de elevar sua competitividade abrangente a um novo nível e penetrar no mercado de veículos elétricos da China, disse o Sr. Qiu Tiangao, Presidente do Jianglin Motors.

Mercado chinês

Em 2018, 1,26 milhão de veículos de nova energia, incluindo carros elétricos e híbridos plug-in, foram vendidos na China, 62% a mais do que no ano anterior, segundo a Associação Chinesa de Fabricantes de Automóveis (ACFA).

No primeiro semestre de 2019, as novas vendas de veículos elétricos cresceram quase 50%, para 617 mil, enquanto as vendas totais de veículos caíram 12,4%, para 12,3 milhões, informa a ACFA.

A China já é o maior mercado mundial de veículos elétricos. O governo quer que as vendas de novos veículos de energia atinjam 7 milhões por ano até 2025. Subsídios e isenções fiscais estão sendo eliminados, mas as maiores cidades da China estão começando a banir os carros a gás e a diesel mais antigos.

O acordo com a Jianglin Motors é a quarta parceria da Renault na China.

Em 2013, a empresa francesa se associou à Dongfeng Motor para montar a Dongfeng Renault Automobile Company, produzindo veículos com a marca Renault.
Em agosto de 2017, a Renault e sua parceira Nissan montaram uma joint venture de carros elétricos com a Dongfeng Motor, chamada eGT New Energy Automotive. Mais tarde naquele ano, a Renault montou uma joint venture com a Brilliance Auto para fabricar veículos comerciais leves.

A Renault estabeleceu uma meta ambiciosa de vender 550 mil veículos na China até 2020, de acordo com o plano estratégico da empresa divulgado em abril. Isso é mais do que o dobro de 2018 vendas de 216.699 veículos.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta