Clássicos em exposição: passado e futuro compartilham o mesmo espaço

relíquias da Scania MBB e Volvo

Nem mesmo o maior dos sonhadores, subindo a estrada velha de Santos, há 50 anos, atrás de um 1113, poderia antever aonde estas máquinas poderiam chegar.

Da conectividade à eletrificação dos propulsores, chegando à inteligência artificial da direção autônoma, o salto tecnológico ainda assusta e no leva a imaginar o que o futuro ainda nos reserva.

Mas, quem é fã da nostalgia dos veículos pesados, ganhou uma atração a mais na última Fenatran. Além de conhecer o que há de mais moderno disponível no país, foi possível encontrar relíquias de diversas décadas da Scania, Mercedes-Benz e Volvo.

Scania-Vabis L71 1957

A Scania levou à Fenatran deste ano, dez modelos históricos da marca, a partir da década de 50. Entre os que mais chamam atenção está o Scania-Vabis L71.

 

Scania-Vabis L71 1954

Havia também uma versão camuflada do P 360 DB 6X6, que, a pedido do Exército, possui motor Euro3, que permite rodar com qualquer tipo de diesel.

 

Dentro do São Paulo Expo o modelo mais antigo foi o Volvo Series 2, do final dos anos de 1920, segunda versão do primeiro caminhão criado pela marca sueca, e que alcançou rápido sucesso.

 

 

Na Mercedes-Benz foi possível encontrar o popular L-1111, primeiro caminhão da marca com cabine semiavançada, que chegou no Brasil em 1964 e é, junto com o L-1113, os campeões de vendas na história do Brasil.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta