Pop.up: a mobilidade urbana do futuro

pop.up

A Airbus anunciou um projeto conceitual de carro e drone chamado Pop.Up. E, no fantástico mundo futurista da Airbus, você pode fazer uma transição perfeita do carro ao carro voador sem se levantar do assento.

Revelado no dia 7 de março, no Salão do Automóvel de Genebra, o sistema começaria com uma cápsula que fica no quadro de um carro autônomo. Quando o tráfego fica pesado, basta chamar um drone usando seu smartphone e decolar a cápsula sobre o congestionamento.

 

O conceito gira em torno de um monocoque pequeno, Smart Car-sized (ou “cápsula de passageiros”, como Airbus o chama) que pode ser usado em vários modos de transporte.  O sistema inteiro é alimentado por inteligência artificial e, segundo a Airbus, vai desenvolver uma “experiência de viagem sem costura”, evitando o congestionamento.

O design do Pop.Up é fruto de uma parceria da Airbus com a italiana Italdesign, que deu forma a carros de produção como o Volkswagen Golf original e dezenas de conceitos para BMW, Alfa Romeo e outros. Porém, este design em particular é tão futurista que nos remete, fatalmente, aos filmes de ficção. Decolagem e aterragem verticais? Motores elétricos de emissão zero? AI e AR?

Pop.Up é uma ideia pura, mas é provável que apareça em jogos de vídeo antes de se tornar uma realidade. Sem surpresas, a Airbus não anunciou um prazo para o projeto.

A empresa diz que uma nova plataforma de inteligência artificial ajudará a gerenciar o sistema Pop.Up, permitindo que os passageiros otimizem o mix de modalidades para sua viagem.

Mathias Thomsen, gerente geral de Mobilidade Aérea Urbana da Airbus, diz que o conceito Pop.Up não é projetado para lançar a ideia do carro voador clichê, mas mais um veículo multimodal para resolver os problemas específicos do século XXI. O veículo urbano do futuro terá de ter em conta infraestruturas sustentáveis ??e inteligentes, aplicações, integração, sistemas de energia, planeamento urbano, sociologia e muitos outros fatores, acredita.

 

“Projetar e implementar com sucesso soluções que funcionem tanto no ar como no solo requer uma reflexão conjunta dos setores aeroespacial e automotivo, além da colaboração com órgãos governamentais locais para infraestrutura e marcos regulatórios”, acrescenta Thomsen.

 

A Airbus observou que a cápsula foi projetada para funcionar não apenas com as opções de voo, mas com outros sistemas de transporte público, incluindo potencialmente um sistema Hyperloop. Os passageiros planejam e reservam sua viagem através de um aplicativo fácil de usar. O sistema sugere automaticamente a melhor solução de transporte – de acordo com o conhecimento do usuário, cronometragem, congestionamento de tráfego, custos, demandas de compartilhamento de viagens – unindo o módulo de ar ou terra ou outros meios de transporte para a cápsula de passageiros e seguindo as preferências e necessidades dos passageiros.

A cápsula é feita de um casulo monocoque de fibra de carbono e mede 2,6 metros de comprimento, 1,4 metros de altura e 1,5 metros de largura. O módulo terra é um chassi de fibra de carbono e é alimentado por bateria. No ar, a cápsula seria transportada usando um módulo de ar de 5 metros por 4,4 metros impulsionado por oito rotores contra-rotativos. Depois de deixar os passageiros, todos esses veículos retornariam automaticamente às estações de carga.

“Hoje, os automóveis são parte de um ecossistema muito mais amplo: se você quiser projetar o veículo urbano do futuro, o carro tradicional não pode sozinho ser a solução para megacidades, você também tem que pensar em infraestrutura sustentável e inteligente, aplicativos, integração, sistemas de energia, planejamento urbano, aspectos sociais, e assim por diante,“ disse o CEO da Italdesign, Jörg Astalosch, em um comunicado.

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta