Para Cummins do Brasil, investimento social é garantia para um futuro tecnológico

luis pasquotto, cummins

Com um mundo em constantes transformações, a educação será uma condição essencial para preparar o ser humano para a nova era tecnológica que está muito próxima. Foi com esse pensamento que o presidente da Cummins do Brasil, Luis Pasquotto, entregou à comunidade do Jardim Cumbica a Escola Victor Civita, cujas instalações foram cedidas há três décadas e recentemente reformadas e ampliadas pela empresa ao custo total de R$ 5,5 milhões.

A última quinta-feira (15.03) foi um dia de festa e glamour para toda a comunidade escolar, que é vizinha às instalações da Cummins. Além de alunos, pais, professores, coordenadores e funcionários, também estavam na plateia jornalistas e diversas autoridades, como o futuro governador de São Paulo, Marcio França, e o jovem prefeito de Guarulhos, Gustavo Henric Costa, conhecido como Guti.

Além do discurso emocionado de colaboradores da Cummins que se engajaram no projeto social, do agradecimento dos professores pelas novas instalações, e depoimento de pais de alunos, França, ainda na condição de vice-governador, elogiou a atitude nobre da empresa de origem norte-americana na doação de dinheiro e tempo para o bem da educação pública. A mesma saudação foi feita pelo prefeito guarulhense e pelo secretário estadual de Educação, José Renato Nalini.

Com a ampliação das instalações, a Escola Victor Civita passou de 780 m² para 2.508 m² de área construída. Foram feitas nove salas de aula, três salas multiuso, cozinha, além de espaços para reuniões dos professores e lazer das crianças. Com a obra, a escola passa a atender 500 alunos ante a 320 no edifício anterior. O projeto também contempla agora ensino de tempo integral.

A Escola Victor Civita foi construída pela Cummins em parceria com o governo do Estado em 1990. Desde a sua inauguração, a Cummins realiza diversas ações por meio de colaboradores voluntários para o desenvolvimento de projetos para a educação dos alunos, como reforço de matemática, incentivo à leitura e à língua inglesa. Para que a escola fosse ampliada, os funcionários decidiram em assembléia abrir mão de espaço recreativo. Ao longo de três décadas, cerca de 6.000 crianças do ensino fundamental passaram pelo colégio.

Com uma escola mais moderna e a colaboração plena de seus funcionários com a comunidade na qual está inserida, a Cummins espera reforçar os laços de pertencimento para a formação de novas gerações que vão conviver com o mundo no qual o conhecimento será condição para um mundo de novas possibilidades.

A própria Cummins já se prepara para isso ao desenvolver tecnologias para veículos de propulsão elétrica ou outras fontes de energia e detrimento da atual supremacia dos combustíveis fósseis.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta