Randon retoma obras da nova fábrica em Araraquara

randon em araraquara

Apesar do cenário econômico ainda incerto por conta de uma crise que se prolonga por três anos, a Randon Implementos e Participações retomou as obras da fábrica que está construindo em Araraquara, (SP), onde inicialmente serão fabricados vagões e semirreboques canavieiros para atender ao mercado da região paulista vocacionada para o plantio de cana-de-açúcar. O local foi escolhido também pela infraestrutura adequada, com acessos ferroviário e rodoviário, além da disponibilidade de mão de obra.

Com início de operação prevista para o primeiro semestre de 2018, a unidade recebeu investimentos de R$ 70 milhões em terraplenagem e edificações, de um total estimado de R$ 100 milhões até a conclusão. Segundo informações da empresa, para esta primeira etapa serão recrutados 120 trabalhadores para as funções de montador soldador, pintor e almoxarife.

Lançado oficialmente em outubro de 2014, o empreendimento de 122 hectares utilizará 25 mil m² com a fábrica, a área administrativa e o apoio.

O projeto de expansão teve início ainda em 2012, quando foi assinado Protocolo de Intenções com a Prefeitura de Araraquara e Memorando de Entendimentos com o Governo do Estado de São Paulo, através da Agência Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade – Investe São Paulo. “Na ocasião, o panorama econômico era bem mais animador do que o atual”, observa Geison Werner, o gerente-executivo da empresa. Ele acrescenta que isto não diminui o interesse da Randon pela região, que oferece bom potencial de crescimento e condições favoráveis em termos de logística.

Em comunicado oficial, a Randon afirma que aproveitou o prolongado período de crise econômica para promover inovações em seus processos industriais, no desenvolvimento de novos produtos e para investir em suas unidades industriais, como é o caso da retomada das obras na fábrica de Araraquara.

O grupo também ampliou a Fras-le em Pinghu, na China, que ganhou novas e duplicadas instalações com produção aumentada em 2,5 vezes. A inauguração está prevista para novembro deste ano.

Com o que chamou de otimismo cauteloso, David Randon, presidente das Empresas Randon, anunciou as novidades na Fenatran 2017, juntamente com os COOs, Alexandre Gazzi (montadora) e Sérgio Carvalho (autopeças), em coletiva de imprensa. “Trabalhamos, com muito rigor, na gestão de custos e na melhoria de nossas linhas de modo a continuar entregando produtos diferenciados e inovadores”, afirmou o presidente.

Fras-le Ásia

Com apenas oito anos de operação com fábrica própria, a Fras-le Ásia ganha novas, modernas e mais amplas instalações em Pinghu, na Província de Zhejiang, na China, onde a companhia se prepara para alcançar sua ambiciosa estratégica de triplicar o faturamento em apenas quatro anos.

“Trata-se de um grande desafio que a Fras-le decidiu enfrentar para crescer no mercado local e transformar a unidade em plataforma de exportação para os países da região Ásia-Pacífico, oferecendo produtos com custos competitivos que dão suporte ao crescimento da empresa, atendendo aos requisitos mundiais de qualidade para os mercados de montadora e de reposição”, observa Sérgio Lisbão Moreira de Carvalho, diretor-presidente da empresa.

Para isso, a nova planta foi dimensionada em 15.000 m² de área construída, o que representa mais do que o dobro da atual fábrica, que operará na mesma localidade, onde ocupava 6.000 m². Os investimentos contemplam novos equipamentos e ainda um incremento de 2,5 vezes na área de produção que passa de 4.500 m² para 11.000 m². Serão produzidas nessa área lonas e pastilhas de freio para veículos comerciais e a unidade deverá gerar até 200 novos empregos nos próximos anos, de acordo com informações de Eduardo Manenti Vargas, general manager – Ásia.

Com inauguração prevista para 30 de novembro deste ano, a nova Fras-le Ásia terá capacidade para produzir anualmente até 5 milhões de peças em pastilhas e até 10 milhões de unidades de lonas, num aumento gradual que começará com produção inicial de 1,75 milhão de pastilhas/ano e 4,0 milhões anuais em lonas.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta