O que esperar para o segmento logístico em 2020?

logística
hésio ferreira, segmento logístico em 2020

HÉSIO FERREIRA – Com a expectativa de consolidação para a retomada da economia brasileira em 2020, com previsão de crescimento do PIB em 2,5%, muitos setores estão com uma perspectiva promissora para este ano, de aumento da produção, das vendas e, consequentemente, dos resultados financeiros.

No setor não é diferente. No entanto, o segmento logístico ainda possui entraves e desafios, como o modal rodoviário do País, defasado, e o custo elevado do frete. Por isso, em logística, é preciso acompanhar as tendências para ser eficiente, gerar satisfação e manter-se competitivo neste mercado.

Algumas das tendências para o segmento logístico em 2020 não podem ser deixadas de lado:

1 – Foco do cliente

Ver o negócio da empresa por meio do “olhar” ou da perspectiva do cliente, seja empresa ou consumidor final, é uma das principais premissas para se manter a competitividade em logística. Com o avanço das relações de consumo, o cliente deve estar no centro das atenções e estratégias de uma empresa. Sendo assim, atender às expectativas e proporcionar uma boa experiência deve ser o ponto principal para qualquer processo, planejamento ou entrega.

2 – Entrega dentro do prazo

Em logística, a entrega dentro do prazo, ou seja, nível de eficiência, é um dos principais termômetros do serviço prestado. Atrasos ou falta de entrega podem derrubar o nível de satisfação do cliente e comprometer o negócio, principalmente em caso de grandes varejistas e comércios em geral, nos quais a disponibilidade dos produtos nas gôndolas deve ser permanente.

3 – Uso de tecnologia de ponta

A adoção de novas tecnologias não pode ficar de fora de forma alguma. O acompanhamento de todo o processo logístico – do armazém, gerenciamento de estoques, até a entrega ao cliente final – é possível por meio de suporte tecnológico de última geração. A Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) é indispensável para a integração inteligente da logística.

A alta tecnologia usada nas operações é um componente fundamental no bom desempenho da operadora logística. Softwares como TMS, WMS, TRACKING e ERP, sistemas robustos, porém flexíveis, customizáveis e de linguagem acessível a outras tecnologias de ponta permitem ao cliente acessar remotamente os estoques, pedidos em produção, o que foi expedido e entregue em todo o Brasil, bem como os indicadores de performance (KPIs) das operações.

4 – Eficiência

Eficiência é a palavra que deve estar em cada uma das fases logísticas para a empresa ter sucesso. Mas, para alcançar um nível eficiente, é preciso planejamento e assertividade em cada uma das etapas. Colocar na ponta do lápis cada uma das fases da cadeia logística e seus respectivos custos, pode auxiliar na revisão e otimização das etapas e valores, gerando maior eficiência para o todo. Lembrando que estoques parados geram custos desnecessários.

5 – Alcance de bons resultados

Ao gerar eficiência para toda a cadeia logística e criar a satisfação das partes envolvidas, atingir resultados financeiros satisfatórios é consequência, gerando um negócio sustentável. Por isso, o objetivo aa o segmento logístico em 2020 deve ser sempre o de integrar de forma inteligente toda a cadeia, envolvendo importação, fornecedores, gestão de armazém e entregas até o cliente final.

Hésio Ferreira, gerente comercial da Intecom Logística.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta