O futuro da mobilidade diante de nós

futuro da mobilidade

É impressionante a velocidade com que o futuro da mobilidade se molda diante de nós. Tecnologias que pareciam conceitos muitos distantes dois anos atrás, quando este portal foi imaginado e criado, estão muito próximas ou já estão entre nós.

O IAA, Salão Internacional de Veículos Comerciais em andamento em Hannover, é a prova de que já estamos vivendo o futuro agora.

No grande evento planetário da Alemanha, o foco das marcas já é apelo de vendas dos novos produtos e não mais a promoção de tecnologias futuristas em torno da autonomia, eletricidade e compartilhamento entre outras apostas.

A van autônoma exibida pela Mercedes-Benz (saiba mais) é o contato de primeiro grau com este futuro da mobilidade. Tanto para passageiro como carga, o comercial leve da marca alemã pretende revolucionar o negócio do transporte em curtas e médias distâncias em vários mercados do mundo em que a montadora atua.

Além da Sprinter, o que mais chama atenção são veículos comerciais pronto para os diversos aplicações nas ruas, estradas ou circuitos fechados.  

Assim, para grandes players como Iveco, Scania, Ford, MAN-Volkswagen, DAF, entre outros grandes fabricantes mundiais europeus, asiáticos e norte-americanos, o futuro da mobilidade, com suas inovações, é uma realidade de mercado, não mais uma miragem.

Nesse novo contexto, a engenharia brasileira demonstrou que também está pronta para atuar, apesar de nossa incipiente infraestrutura para veículos altamente conectados.

Um dos primeiros casos de operação autônoma real da Mercedes-Benz é o de um caminhão que opera em canavial brasileiro, em São Paulo.

Volvo e Volkswagen Caminhões e Ônibus também apresentaram em seus grandes estandes produtos desenvolvidos no Brasil para circuitos fechados ou abertos.

No estande da MAN, estava o Delivery elétrico e o ônibus híbrido made Brazil.    

Tecnologias criadas no Brasil também foram destacadas pelo CEO global da Volvo em conferência com jornalistas especializados de todo o mundo.

Vera, a solução da Volvo Trucks para o futuro da mobilidade

Para o futuro da mobilidade, talvez a coisa mais visionária da Volvo tenha sido o Vera (veja matéria), caminhão tipo “locomotiva” autônoma que mais parece uma quinta roda para o engate de implementos. Não há cabine para motorista.

Mas com a velocidade da chegada das tecnologias, quem duvida em que em pouco tempo o Vera ou coisa semelhantes não esteja em operação por aí?

Integração MB-BWM

Esse futuro imediato une até rivais. É o caso da parceria entre a Daimler e BMW anunciada este ano.

o futuro da mobilidade - Car2Go e DriveNow

O objetivo da Daimler AG e BMW Group é formar uma joint-venture para fornecer serviços de mobilidade fora das estruturas corporativas das duas montadoras, visando uma rápida expansão dos negócios.

Com esse passo, o novo negócio, que aguarda aval da Comissão Europeia, visam moldar a mobilidade do futuro com muito maior sustentabilidade.

Ao toque de um dedo, BMW e Daimler pretendem oferecer aos seus clientes um ecossistema holístico de serviços inteligentes e integrados.

São cinco áreas de integração:

  • CarSharing, (aluguel do veículo por curto período, unindo as empresas Car2Go e DriveNow, que operam 20 mil veículos em 31 grandes cidades internacionais, com mais e quatro milhões de clientes ativos)
  • Ride-Hailing (serviço de táxi personalizado, que já possui 13 milhões de clientes e 140 mil motoristas licenciados, em soluções inovadoras como mytaxi, Chauffeur Privé, Clever Taxi e Beat)
  • Estacionamento (serviço de estacionamento digital, sem pagamento físico, reduzindo a busca por vagas e o trânsito com o ParkNow e o Parkmobile/ Parkmobile LLC)
  • 4 – Recarga (serviço oferecido por meio da ChargeNow e Digital Charging Solutions, que facilita o acesso às estações públicas de carregamento elétrico — são mais de 143 mil ao redor do mundo —, apoiando a expansão da eletromobilidade ao redor do mundo);
  • Multimodal e eletro mobilidade sob demanda (por meio do Moovel Group e ReachNow: conectividade inteligente e contínua entre diferentes ofertas de mobilidade – incluindo reserva e pagamento – criará um valor agregado significativo para os usuários. Também oferecerá soluções possíveis para os desafios do transporte privado urbano.

As duas empresas deterão uma participação de 50% na joint venture, mas permanecerão concorrentes em seus respectivos negócios principais.

Vale lembrar que, aqui no Brasil, a Superintendência-geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE), sem muito alarde, deu seu aval sem restrições, em maio último, para a operação de joint venture entre as duas empresas na aérea de mobilidade.

O acordo brasileiro entre Daimler e BMW visa a constituição e o compartilhamento pelas duas empresas do controle de seis joint ventures específicas e inclui a DriveNow da BMW e a Car2Go da Daimler.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta