Montadoras começam a interromper suas atividades por conta da COVID-19

férias coletivas

A Mercedes-Benz e a General Motors foram as primeiras que anunciaram que entrarão em férias coletivas a partir do fim desse mês como prevenção contra a disseminação da COVID-19.

Os funcionários das fábricas de Iracemápolis e São Bernardo do Campo (ambas em SP) e a de Juiz de Fora (MG), entrarão em férias a partir do dia 30 de março até 19 de abril

A retomada das atividades nas unidades da Mercedes, porém, está prevista somente para o dia 22 de abril, isto porque a montadora concederá folgas nos dias 25, 26 e 27 de março e no dia 20 de abril, que serão debitadas dos bancos de horas. A montadora alerta, no entanto, que a retomada das atividades está condicionada à situação do País naquele momento.

GM entrará em férias coletivas

A General Motors interromperá suas atividades em São Caetano do Sul e São José dos Campos (SP), Joinville (SC) e Gravataí (RS) no dia 30 de março, com previsão de retorno somente em 12 de abril.

A montadora americana tem na sua planta de São José dos Campos cerca de 3,8 mil funcionários, já a Mercedes-Benz, cerca de 10 mil.

Outra montadora, a Volkswagen, também deverá interromper suas atividades, entrando em férias coletivas, na fábrica de São Bernardo do Campo (SP).

De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, cerca de 7 mil dos 9 mil trabalhadores da montadora serão liberados dia 31 de março, com retorno previsto para 13 de abril.

A montadora já havia protocolado um pedido de férias coletivas junto à Secretaria Especial de Previdência e Trabalho e o pedido vale para todo o País.

Parte do pessoal administrativo da Volkswagen em São Bernardo do Campo já está trabalhando de forma remota, em regime de home office.

A Ford, a Toyota, e a Scania já dispensaram do trabalho presencial funcionários com mais de 60 anos e mulheres grávidas.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta