Montadoras articulam retomada da produção

retomada da produção

Aos poucos, e com muita cautela, as montadoras começam a traçar seus planos para uma retomada da produção, de forma gradual, em meio a uma tormenta causada pela crise sanitária que contaminou também a política.

Os primeiros sinais foram dados pela Volkswagen Caminhões e Ônibus (VWCO) que anunciou a retomada da produção em Resende (RJ) a partir da próxima segunda-feira (27/04).

“A prioridade sempre será a saúde de nossos colaboradores. Por isso, a retomada da produção será progressiva, nos permitindo também avaliar as condições da cadeia logística e de distribuição. Nossas áreas de recursos humanos e produção têm um plano minucioso que obedece a todas as recomendações do Ministério da Saúde brasileiro e da Organização Mundial de Saúde”, diz Roberto Cortes, presidente e CEO da VWCO.

A retomada da produção faz parte de um acordo entre o Sindicato dos Metalúrgicos do Sul Fluminense, os colaboradores da Volkswagen Caminhões e Ônibus e das empresas do Consórcio Modular que aprovaram a suspensão de contrato de parte do pessoal de produção e a redução da jornada para equipes administrativas em 25%.

A Mercedes-Benz também costurou um acordo semelhante com o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC para os mais de oito mil profissionais da unidade de São Bernardo do Campo (SP).

A planta do ABC também terá uma redução de jornada de trabalho de 25%, no período de 4/5 a 31/7/2020, para todos os administrativos que não estejam ligados à produção, com a consequente redução salarial conforme patamar de salário dos empregados. Todos os funcionários administrativos que puderem desenvolver atividades à distância seguirão trabalhando em home office, atendendo as recomendações da OMS.

 Também estarão  suspensos temporariamente os contratos de trabalho de cerca de 50% dos colaboradores ligados diretamente à produção entre 4/5 e 30/6/2020. Ao término, será concedido um segundo período de suspensão temporária do contrato de trabalho, de 1/7 a 31/8/2020, para os outros 50% dos colaboradores ligados à produção. A consequente redução nos salários também seguirá o patamar salarial dos empregados.

De acordo com a Mercedes-Benz, estará garantida a estabilidade de emprego até 31 de dezembro de 2020 para os profissionais da planta de São Bernardo do Campo. As plantas de Campinas e Iracemápolis (SP) e Juiz de Fora (MG) continuam paradas e as negociações com seus respectivos sindicatos estão em andamento.

As fábricas da CNH Industrial na América do Sul, localizadas em Contagem (MG), Curitiba (PR), Piracicaba (SP), Sete Lagoas (MG) e Sorocaba (SP), no Brasil, e em Córdoba, na Argentina, também começam a voltar, gradualmente, ao funcionamento. As atividades estavam paradas há algumas semanas por conta da quarentena da Covid-19. Todas as plantas retomaram as atividades – agrícolas e construção na semana passada e veículos comerciais e motores no último dia 22 – e, segundo a empresa, seguindo rigorosos padrões de higiene e uma série de cuidados para proteger a saúde dos colaboradores.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta