Mercedes-Benz prevê a venda de mais de 5.000 caminhões Atego no Brasil em 2017

mercedes-benz atego

A linha de caminhões Mercedes-Benz Atego, que conta com nove modelos para os segmentos rodoviários, de médios e semipesados, além de dois fora de estrada, amplia sua presença no mercado brasileiro. No acumulado do primeiro quadrimestre de 2017, foram emplacadas 1.110 unidades, o que significa 21,7% de crescimento sobre o resultado do mesmo período do ano passado.

“Cerca de 80% desse volume de venda são de modelos semipesados da família Atego”, diz Roberto Leoncini, vice-presidente de Vendas, Marketing e Peças &m Serviços Caminhões e Ônibus da Mercedes-Benz do Brasil. “Com o crescimento constante de vendas desse importante segmento, nossa expectativa é comercializar mais de 5.000 unidades ao longo deste ano no mercado interno.”

De acordo com o executivo, já foram vendidos no Brasil 58.427 caminhões Atego desde 2004, ano de seu lançamento, até abril de 2017. “Desse expressivo volume, 50.808 unidades são de semipesados, modelos que tradicionalmente ocupam papel muito relevante no abastecimento dos vários tipos de cargas e produtos para atendimento ao consumo da população dos mais de 5.500 municípios brasileiros”, ressalta Leoncini.

Neste ano, 27% das vendas de caminhões no Brasil foram de veículos semipesados. “Além disso, 30% dos três milhões de caminhões da frota circulante nacional também são semipesados, o que revela grande potencial para renovação”, informa Leoncini. “Os clientes têm preferência por esse segmento porque os caminhões circulam com eficiência e agilidade por todos os lugares, da fazenda à cidade, da fábrica aos centros de distribuição, aos supermercados e pequenos pontos do comércio, passando por vias não pavimentadas, estradas boas ou não e pelos centros urbanos e periferias com a mesma desenvoltura.”

Flexibilidade de aplicação

A flexibilidade de aplicação é uma característica marcante da linha Atego, segundo a montadora. O portfólio da Mercedes-Benz oferece amplas possibilidades para que os clientes configurem seu caminhão de acordo com cada uma de suas demandas. Para tanto, tem à disposição versões 4×2, 4×4, 6×2, 6×4 e 8×2, quatro tipos de cabines (Standard, Estendida, Leito Teto Baixo e Leito Teto Alto), três ou quatro opções de entre-eixos (dependendo do modelo) e facilidade para receber os mais variados tipos de carroçarias e implementos.

“Essa flexibilidade da linha Atego é um grande diferencial da nossa marca no mercado, porque cada cliente tem uma necessidade específica”, afirma Leoncini. “Eles transportam vários tipos de carga, carregam em diferentes lugares e entregam em diversos destinos. Por isso, precisam de um caminhão que seja forte e resistente no campo, além de ágil na estrada, sem abrir mão do conforto e segurança para o motorista e da economia operacional. Todas essas exigências são atendidas plenamente pelo Atego, daí seu crescente êxito no mercado”.

Soluções geradas em parceria com os clientes

O sucesso do Atego está também ligado ao desenvolvimento de soluções em parceria com os clientes, o que reafirma o compromisso da Empresa estabelecido no slogan “As estradas falam. A Mercedes-Benz ouve”. Nesse sentido, atendendo a uma sugestão da Via Lácteos, referência nacional no transporte de leite, foi desenvolvida uma configuração especial de robustez para a linha de caminhões Atego. Como resultado, o cliente comprou 10 unidades do modelo Atego 1719 4×2 e mais 10 do Atego 2426 6×2.

O Pacote Robustez está disponível para a linha Atego 4×2 e 6×2 nas cabines Standard e Estendida. Essa nova configuração (Pacote Robustez) contempla o para-choque dianteiro tripartido, que permite ângulo de entrada maior, grade metálica de proteção do farol, nova posição da luz de seta, primeiro degrau da cabina em metal e nova posição do suporte para placa, visando facilidade de acesso ao engate do cambão. Além dessas características, os caminhões Atego podem ser configurados com os pneus 295/80R22.5, mais altos.

A configuração de robustez é indicada para operações em que o ângulo de entrada é fator importante para o transporte de cargas e prestação de serviços de apoio. Isso facilita a movimentação do caminhão em fazendas ou em terrenos irregulares, canteiros de obra e mineração, permitindo a circulação do veículo sem grandes dificuldades.

Nas atividades do agronegócio, setor que vem liderando a retomada do crescimento econômico do Brasil, o Atego se destaca pela eficiência e versatilidade. Além de serviços de apoio nas grandes produções do campo, como grãos e cana-de-açúcar, desponta com predominância no transporte de hortifrutigranjeiros, interligando pequenos, médios e grandes produtores com as centrais de abastecimento, como também com supermercados e os diversos pontos de venda no interior dos bairros.

Hoje, por exemplo, os caminhões semipesados respondem por cerca de 80% do abastecimento do CEAGESP. A maioria dos produtos é perecível e precisa ser transportada rapidamente do campo à central de abastecimento. Neste caso, o semipesado leva vantagem, porque circula com mais facilidade em qualquer lugar na comparação com uma carreta.

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta