Mercedes introduz novo patamar tecnológico nos ônibus rodoviários

ônibus rodoviários Mercedes-Benz

Os ônibus rodoviários Mercedes-Benz modelos O 500 RS, RSD e RSDD sairão de fábrica, a partir de julho, com um pacote de novas tecnologias que promete reduzir de 2% a 8% o consumo de combustível desses veículos, em comparação aos chassis atuais da montadora.

Chamado de Fuel Efficiency, o pacote de inovações inclui compressor de ar do motor com otimização de energia, gerenciamento eletrônico do ventilador do radiador, aumento de torque para o motor OM 457 LA de 360 cv e sistema de desligamento automático do motor. O objetivo desse novo patamar tecnológico é alcançar melhor custo operacional para os clientes operadores do transporte rodoviário de passageiros.

O conceito de otimização da energia do compressor de ar do motor baseia-se na redução da carga no motor quando o sistema de ar está totalmente carregado, com reduções da temperatura de trabalho e do nível de ruído. Consequentemente, o consumo de combustível deverá ser menor e a vida útil do compressor maior.

Outra nova solução é o Visctronic, o controle inteligente do ventilador do radiador. Esse novo gerenciamento eletrônico permite um controle mais preciso do sistema de arrefecimento do motor; otimiza o controle de velocidade do ventilador e reduz o ruído causado por esse componente. Além de contribuir para diminuir o consumo de combustível, proporciona maior vida útil das correias.

Maior torque para o motor OM 457 LA de 360 cv é outro item do pacote que contribui para diminuir o consumo de combustível. O ganho com o High Torque, de 1.600 Nm para 1.850 Nm a 1.100 rpm, resulta em velocidades de cruzeiro (80 km/h ou 90 km/h) com rotações mais baixas e mantém a capacidade de rampa. O sistema ganha uma nova combinação com a caixa de câmbio com over drive e redução do eixo traseiro.

Outra solução do Fuel Efficiency é o sistema de desligamento automático do motor que, além de economia de consumo, contribui para a redução de emissões de poluentes. Os chassis rodoviários passam a contar com o EIS (Engine Idle Shutdown) que desliga automaticamente o motor se o ônibus ficar parado por até quatro minutos sem que o motorista acelere o veículo ou acione o freio de serviço. Esse recurso pode ser bastante útil nas plataformas de embarque de passageiros das rodoviárias, em pontos de parada ou nas garagens dos frotistas.

 

 

A montadora também lançou o câmbio mecânico GO 190 de seis marchas para o chassi O 500 R, com acionamento por alavanca do tipo joystick. Com sistema servo-assistido, proporciona menor esforço para o motorista e maior conforto para os passageiros porque reduz os solavancos típicos dos câmbios acionados por cabo.

Foi desenvolvido, como item opcional, um novo padrão do câmbio automatizado Mercedes PowerShift GO 240, para os modelos RS e RSDD. A nova parametrização da caixa automatizada de oito marchas permite menos trocas de marcha, com trocas mais rápidas que dão maior agilidade nas saídas e melhor aproveitamento do torque. Isso reduz o consumo de combustível, resultando em mais conforto, aumento da vida útil e otimização do custo operacional.

 

“O custo do combustível é um dos itens mais importantes na gestão de uma frota. Por isso, não paramos de desenvolver novas soluções para atender às necessidades dos clientes quanto à redução do consumo”, assinala Walter Barbosa, diretor de vendas e marketing de ônibus da Mercedes-Benz do Brasil. O acréscimo das novas soluções terá um impacto de 1,5% no preço final dos produtos.

A montadora já realizou os testes do Fuel Efficiency, inclusive junto a clientes como a Viação Cometa que rodou em condições regulares com dois ônibus equipados com as novas tecnologias, durante seis meses.

Mercado

Na avaliação de Barbosa, 2018 é um ano de oportunidades para a indústria de ônibus já que as condições da economia nacional indicam fatores positivos para os negócios, como a estimativa de crescimento do PIB em 2,6%, taxa de juros de 6,25% e inflação de 4,5%.

 

 

Além disso, historicamente um ano eleitoral significa maior demanda por ônibus no primeiro semestre, o que vem se realizando na prática. Nos primeiros quatro meses do ano, o número de ônibus emplacados no mercado nacional cresceu 46% sobre igual período ano passado, para 3.593 veículos, com aumento em quase todos os segmentos. As vendas de ônibus rodoviários cresceram 181% em comparação ao primeiro quadrimestre de 2017, para 387 unidades; no segmento de fretamento o crescimento foi de 91%, para 288 unidades; 73% de aumento nos urbanos, para 1.938 carros e 60% de alta nos micro-ônibus, para 814 veículos. Somente o segmento de ônibus escolares mostrou retração, de 67%, para 165 unidades. Barbosa explica que das licitações já feitas pelo programa Caminho da Escola, há 8.500 ônibus escolares em fase de homologação e que só deverá haver impacto nesse segmento de mercado no segundo semestre de 2018 e no primeiro semestre de 2019.

Há ainda a legislação a favor desse movimento progressivo já que a partir de 1º de julho passa a ser obrigatória a plataforma elevatória para acessibilidade nos ônibus, o que também está impulsionando a alta performance deste primeiro semestre.

Considerando-se apenas a performance da Mercedes-Benz, houve aumento de 337% no volume de ônibus rodoviários emplacados no primeiro quadrimestre do ano, para 188 veículos, frente a 43 em igual período de 2017. No geral, a Mercedes emplacou 2.217 ônibus de janeiro a abril, alcançando 62% de participação no mercado (segmento acima de oito toneladas de PBT).

A previsão de Barbosa é de um crescimento de 20% no mercado geral de ônibus em 2018.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta