Mercedes-Benz amplia participação na frota de Curitiba com superarticulados de 21 metros

renovação da frota de Curitiba

As empresas que operam o sistema de transporte público da cidade estão apressando o programa de renovação da frota de ônibus de Curitiba (PR) para terminar o cronograma antes que o processo eleitoral do próximo ano, para a prefeitura do município, interfira na programação. Dos 450 veículos que fazem parte do pacote de renovação, no período de 2017 a 2020, já foram adquiridas 251 unidades e o restante deverá ser contratado ainda este ano.

“Até junho, entregaremos os primeiros 300 ônibus na renovação de 2018 e 2019. E, a partir de agosto, já começaremos a renovação de 2020, queremos antecipar porque nossa visão de empresários é não participar, em nenhum momento, de qualquer mote político de 2020. Por isso, vamos tentar antecipar os cerca de 150 ônibus que faltam ser entregues para, no máximo, janeiro ou fevereiro do próximo ano. É um compromisso assumido pela cidade”, declara Mauricio Gulin, presidente do Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Setransp) e também da Viação Cidade Sorriso, uma das dez empresas que operam o sistema de transporte público de Curitiba. 

Esse processo de renovação da frota abriu oportunidade para fabricantes de ônibus expandirem suas vendas ao mercado curitibano. Uma dessas empresas é a Mercedes-Benz do Brasil, que atualmente já detém 55% da frota de ônibus urbanos da cidade e planeja alcançar de 60 a 63% de market share até o final de 2019. O transporte urbano de passageiros da cidade é atualmente executado por três consórcios – Pontual, Transbus e Pioneiro – com uma frota de 1.650 ônibus que transportam uma média de 730 mil pessoas por dia.

Para ampliar sua participação nesse mercado, a Mercedes-Benz desenvolveu um veículo sob medida para os padrões da cidade: um ônibus superarticulado com 21 metros de comprimento, dois a menos que o seu superarticulado que já roda em São Paulo, de 23 metros. A nova medida foi necessária para adaptar o veículo às plataformas de embarque já existentes, em forma de tubo, de modo que as portas do ônibus pudessem ficar alinhadas com as aberturas para embarque e desembarque de pessoas nas estações. Segundo Walter Barbosa, diretor de vendas e marketing de ônibus da Mercedes-Benz do Brasil, a principal modificação foi alterar o entre-eixos da articulação, com redução de nove para sete metros. “Encontramos uma nova configuração para melhor encaixar nosso ônibus nesse município, de acordo com o perfil da demanda”, explica Barbosa. O superarticulado de 21 m tem capacidade para transportar 165 passageiros.

A montadora comercializou, até agora, oito superarticulados para o sistema curitibano, sendo seis para a Viação Cidade Sorriso e dois para a Viação Redentor, todos com carroceria da Caio Induscar, modelo Millennium BRT. Para comprovar a eficiência do modelo, a Mercedes disponibilizou, no ano passado, um MDA superarticulado, ainda de 23 metros, para avaliação em quatro empresas regionais – Cidade Sorriso, Redentor, Santo Angelo e Colombo. O veículo rodou por 11 meses, até março deste ano, para mostrar a performance e vantagens do produto, entre elas o menor consumo de combustível.

“O superarticulado O 500 MDA da Mercedes-Benz nos convenceu pelos bons resultados em termos de custo operacional. Identificamos ótimas perspectivas de redução no consumo de diesel e também no custo de peças, porque já contamos com o histórico de ônibus articulados da marca na frota e isso nos oferece previsibilidade de custos de reposição e manutenção, além de possibilitar a intercambialidade de peças. Nossos motoristas também ficaram satisfeitos com o fato deste ser um veículo mais silencioso, pela localização do motor na traseira”, diz Gulin. Ele assinala que um dos requisitos para fechar a compra foi o pronto atendimento e afirma que a viação vem sendo muito bem servida tanto pela Mercedes quanto pela Caio, com rapidez na entrega de peças de reposição para os chassis e para as carrocerias.

“Achamos uma alternativa competitiva em termos de capacidade e com custo operacional melhor. Esse carro tem uma versatilidade interessante porque pode ser usado não só na linha expressa, mas também em outras regiões. Além disso, por ter o quarto eixo direcional, permite melhor manobrabilidade nas vias”, ressalta Barbosa. O superarticulado de 21 m tem caixa automática, retarder e suspensão pneumática.

renovação da frota de Curitiba

Além dos superarticulados, que vão operar no corredor de BRT (Bus Rapid Transit) da cidade, a Mercedes também forneceu nessa etapa de renovação de frota os modelos OF 1519eOF 1721, com suspensão mecânica e pneumática, e os O 500 M (padron) e O 500 MA (articulado de 18 m), que vão operar nas linhas alimentadoras, convencional, interbairros e linha direta.Cerca de 36 novos ônibus da marca serão entregues neste mês de abril.

Do total de 251 novos ônibus já comprados para Curitiba, 85 são Volvo, seis são Scania (biarticulados) e 160 unidades são da Mercedes-Benz, dos modelos OF 1519, OF 1721, OF 1721 L, O 500 M, O 500 MA e O 500 MDA. Desses, 124 carros já estão circulando na cidade e outros 36 veículos serão entregues ao longo de abril.

Segundo Gulin, o investimento feito até o momento soma cerca de R$ 160 milhões, incluindo os últimos 36 veículos que chegam em abril, e perto de dois terços desse valor correspondem a investimentos na Mercedes-Benz. Parte da compra foi financiada pelo Banco Mercedes-Benz e parte pelo banco Luso Brasileiro. Outros recursos serão aplicados na renovação do que falta para os 450 veículos, mas, segundo Gulin, o montante a ser aplicado depende do perfil de frota que o órgão gestor ainda vai informar, definindo a quantidade de cada modelo.

Exemplo no transporte de passageiros

“Estamos com uma nova expectativa para o sistema de transporte de Curitiba. Inovações estão chegando, buscamos novas tecnologias e novos parceiros, com a visão que Curitiba sempre teve do transporte coletivo. Temos o dever de transformar Curitiba novamente em referência para o país e para o mundo”, declara Mauricio Gulin.

De acordo com ele, a idade média da frota, que contratualmente tem que ser de cinco anos, está se recompondo com a renovação. “De 2013 até o final de 2017, quando assinamos o termo aditivo com a prefeitura, a idade média estava em quase oito anos. Agora, com a renovação, foi para seis anos e até o ano que vem chegará em cinco anos, conforme o contrato”, calcula.

Para Ângelo Gulin Neto, presidente da Viação Redentor, o grande desafio das operadoras de ônibus é recuperar os passageiros que estão trocando o transporte público por outros meios de locomoção. “Estudamos inúmeros mecanismos de como buscar esse passageiro, talvez com aplicativos ou outras formas como um sistema de bilhetagem eletrônica mais moderno. Temos que criar facilidades para as pessoas. Curitiba tem a vantagem de suas canaletas exclusivas, que conseguem dar velocidade ao sistema, mas, mesmo assim, a ponta do bairro ainda é muito prejudicada porque tem alimentação para dentro dos terminais onde acontece a demora. O grande desafio é conseguir colocar as pessoas com velocidade dentro do veículo, fazendo-as chegar mais rápido ao trabalho do que com o uso do automóvel e proporcionando conforto cada vez maior. Somente com tecnologias novas, carros confortáveis e segurança dentro do sistema é que vamos conseguir fazer esse tipo de trabalho”, declara.

Eficiência operacional

Hoje a Viação Cidade Sorriso opera com ônibus de três diferentes fornecedores: Mercedes-Benz, Volvo e Scania. “Agora podemos fazer testes com os produtos dos três fornecedores e teremos os resultados comparativos das três marcas no dia a dia”, diz Mauricio Gulin. Ele planeja divulgar o resultado da comparação entre os três fornecedores em até seis meses.

Design agregado às carrocerias

renovação da frota de Curitiba

Para seguir a linha dos novos ônibus da cidade, a encarroçadora Caio Induscar buscou agregar novos itens de design às suas carrocerias. O painel de instrumentos, a tampa de manutenção e a área de instrumentação foram ampliados para incorporar mais itens tecnológicos. Foi incorporado um novo modelo de lanternas traseiras modulares e intercambiáveis, o que ajudou a proporcionar melhor custo-benefício para o operador.

renovação da frota de Curitiba

De acordo com informações da empresa, há tecnologias nesses ônibus que já fazem parte do padrão dos veículos que operam na cidade. Os ônibus da Caio possuem carrocerias com sistema Multiplex, sistema de câmeras para monitoramento interno, que é um item de segurança para os passageiros; sistema de anunciador de próxima parada; iluminação 100% em Led, que proporciona maiores durabilidade e economia; e sistema modernizado de rampa.

Aproximadamente, 93 carrocerias Caio foram produzidas e entregues para o sistema de Curitiba, de dezembro de 2018 a março 2019. “Até abril, com a entrega de mais 32 unidades, o número deve subir para 125 ônibus marca Caio produzidos para Curitiba”, informa Maurício Lourenço da Cunha, diretor da Caio. São 71 unidades de articulados e biarticulados e o restante de veículos alimentadores com motor dianteiro. “Essas carrocerias têm atendimento total às exigências da Urbs e de nossos clientes, com o padrão de qualidade que a Caio sempre coloca nos seus produtos e nos seus serviços, do atendimento da nossa equipe comercial até todo o trabalho de pós-venda que eventualmente possa ser necessário ao longo da vida do produto”, declara Cunha. “Nossas expectativas para novos negócios em Curitiba são grandes”, complementa o executivo.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta