Marcopolo cria a marca Marcopolo Rail para intensificar negócios no segmento metroferroviário

Marcopolo Rail

Com base em uma parceria iniciada em 2014 com a empresa de tecnologia de transporte Aeromovel Brasil – para desenvolvimento de uma cabine nacional para projetos de sistemas de aeromóvel – a fabricante de carrocerias para ônibus Marcopolo criou uma nova marca na empresa, a Marcopolo Rail, que vai atuar no segmento metroferroviário. O objetivo é posicionar a empresa de forma mais marcante no segmento metroferroviário, para ampliar sua atuação nessa área e não apenas em projetos pontuais.

Petras Amaral, Marcopolo Rail

A fabricante já conta com uma linha de produção dedicada ao novo segmento em sua fábrica de Ana Rech, em Caxias do Sul (RS), onde são fabricadas também as carrocerias para ônibus que circulam em sistemas de alta capacidade, como os BRTs (Bus Rapid Transit). Segundo Petras Amaral, head de inovação da Marcopolo, a empresa vai aproveitar no novo segmento a sinergia das linhas de produção e a expertise que a empresa consolidou com o desenvolvimento de soluções para o transporte de massa como os BRTs, os VLTs (Veículos Leves sobre Trilhos), em sistemas traçados em vias elevadas, os chamados Automated People Movers (APM), projetados para servir áreas restritas como aeroportos ou parques temáticos, por exemplo.

Marcopolo Rail

O executivo diz que a experiência da Marcopolo nessa área foi fundamental para o desenvolvimento das soluções para as cabines do aeromóvel e possibilitou inovar em sistemas de aberturas, climatização, layout, assentos, materiais e design. “O foco inicial da Marcopolo Rail inclui o fornecimento de soluções para modais ferroviários de até 25 mil passageiros/hora/sentido, que operem com velocidade máxima de 70 km/hora e possam atender tanto ao segmento urbano quanto ao intermunicipal, mostrando soluções para os atuais problemas de mobilidade em cidades acima de 300 mil habitantes”, declara Amaral.

Marcus Coester, CEO da Aeromovel Brasil - Marcopolo Rail

Na parceria com a Aeromovel Brasil, a Marcapolo Rail é a fornecedora dos veículos e a Aeromovel é responsável por todo o sistema de propulsão e infraestrutura. Segundo Marcus Coester, CEO da Aeromovel Brasil, há várias tratativas em andamento para participação das duas empresas em novos projetos de aeromóvel no mundo, como na Colômbia, nos Estados Unidos, na África do Sul, e aqui no Brasil (Bahia e São Paulo). Canoas, no Rio Grande do Sul, também tem um projeto de aeromóvel, mas está paralisado, segundo Coester, com 40% de execução. “Hoje temos mais de 110 projetos em nossa carteira de oportunidades, em estágios variados, em mais de 15 países”, relata.

Ele afirma que o baixo custo operacional do sistema aeromóvel despertou o interesse em muitos projetos. O carro circula em uma via elevada, que dispensa desapropriações em solo, o que já torna essa opção menos custosa. Além disso, o veículo é bem leve e movimenta-se por propulsão pneumática, por ar pressurizado. “Na questão energética dessa tecnologia já temos comprovado, hoje, que o custo operacional do aeromóvel é 20% do custo operacional de um sistema de ônibus a diesel”, defende Coester. Ele explica que isso foi demonstrado com o aeromóvel da Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre (Trensurb), que há cinco anos opera dois veículos no transporte de passageiros do metrô ao aeroporto. “Temos os dados oficialmente registrados, mês a mês, e o custo operacional é bastante baixo”. Como base de comparação, ele cita que somente o ar-condicionado das duas estações consome duas vezes mais energia do que o sistema de propulsão. “A tecnologia é competitiva. É mais econômica porque o veículo é leve, é totalmente automatizado e não tem motores a bordo, os motores estão abrigados, o que resulta em baixo custo de manutenção”, explica o executivo.

Além de Porto Alegre, a Aeromovel Brasil possui um sistema em Jacarta, na Indonésia, que opera há 29 anos e já transportou mais de 25 milhões de passageiros.

A Marcopolo investiu cerca de R$ 10 milhões no desenvolvimento da cabine. O produto da Marcopolo Rail é um veículo Geração 6, usa material que atende à norma norte-americana NFPA 130 de flamabilidade e emissão de fumaça tóxica. A cabine é feita de plásticos de engenharia e compósito. No interior do carro, são usados materiais como plástico, compósito e peças em alumínio. O veículo tem capacidade para 282 passageiros, ar-condicionado, oito portas e de vida útil de 30 anos.

A nova marca Marcopolo Rail foi lançada durante a NTExpo 2019, evento que acontece até hoje (21/03), paralelamente à feira Intermodal, em São Paulo.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta