Logística da MAN conta com veículos autônomos e sistema de comando de voz

Veículos autônomos e sistema de comando de voz

A MAN Latin America está investindo em novos conceitos de logística para deixar sua fábrica de caminhões e ônibus Volkswagen e MAN ainda mais eficiente. No último ano, a montadora desenvolveu três projetos com foco em ganho de produtividade que geraram redução de 40% no custo do transporte interno, diminuição de 75% do inventário de peças em processo e mais liberação de 60% do espaço da borda de linha em determinadas áreas de sua fábrica em Resende (RJ).

 

“A logística vem evoluindo e representa cada vez mais um papel estratégico nas empresas. Onde existe um processo produtivo, sempre vai haver uma oportunidade de melhoria e esse é o alvo de nosso trabalho. Em nossa operação, entendemos que essa cultura garante nossa competitividade e seus benefícios elevam a rentabilidade de todo o negócio, por isso implementamos novos conceitos e mantemos atenção permanente nesse campo”, afirma Adilson Dezoto, vice-presidente de Produção e Logística.

 

Adilson Dezoto, vice-presidente de Produção e Logística da MAN

Uma das soluções criadas de forma pioneira na indústria é com o conceito de abastecimento inteligente das peças da linha de produção. A iniciativa consiste em prateleiras móveis que são levadas do estoque por um rebocador, uma vez ao dia, com as peças necessárias para o uso específico em cada posto de trabalho da linha de montagem. Parece simples, mas esse processo, que hoje já foi implementado em mais da metade da fábrica, liberou 60% do espaço ocupado na borda de linha e diminuiu o inventário em processo em 75%.

A montadora também deu início à utilização de veículos guiados de forma autônoma – conhecidos como AGV – na fábrica. Esses modelos cobrem mais de 10% das rotas traçadas para transportar peças e dispositivos na linha de montagem. Ao todo, seis AGVs cumprem instruções já programadas em seu sistema, percorrendo trajetos pré-definidos com linhas traçadas no piso.

A expertise da MAN Latin America se estende também à fabricação interna desses veículos: dois deles foram desenvolvidos pelos colaboradores da empresa com recursos internos, gerando uma economia de cerca de 30% em relação ao preço de aquisição. “O objetivo agora é aprimorar esse conhecimento e expandir para toda nossa operação”, comenta Dezoto.

E não é só dentro da linha de produção que a inovação tem seu espaço. Outra novidade que entrou em operação e já rende frutos são dois caminhões Constellation 19.330 adaptados especialmente para acelerar o transporte interno de peças do Centro Logístico e do Parque de Fornecedores rumo à linha de montagem.

O veículo conta com cabine modificada, com uma porta de acesso na parte traseira, e quinta roda automatizada que possibilita a troca rápida da carreta, contribuindo para aumentar a eficiência e diminuir o custo deste transporte em até 40%. Com a nova configuração, o motorista passa a ter melhor movimentação dentro da cabine e consegue ter acesso à carreta de forma ágil e prática.

Montadora expande também sistema logístico
Em outra frente, a MAN Latin America dá continuidade às suas inovações já desenvolvidas. O sistema por comando de voz para seleção e manuseio das peças que chegam à linha de montagem da fábrica foi ampliado e atende agora a mais áreas, totalizando mais de 15 mil itens por dia neste conceito. Entre seus benefícios, uma redução no tempo da operação em 25% e a maior assertividade do abastecimento da linha de produção.

“Nosso desafio é permanente, com metas arrojadas, para garantir a sustentabilidade do negócio. Temos avançado em produtividade, com redução de estoques, ganhos de área e tempo, para tornar nossa operação cada vez mais eficiente”, finaliza Adilson Dezoto.

O trabalho da montadora não para. Novos conceitos logísticos estão em investigação para antecipar as evoluções da nova revolução industrial em andamento, a chamada indústria 4.0, que prevê conectividade e autonomia aos processos produtivos.

“É um mundo novo que se abre. Os equipamentos poderão, por exemplo, se comunicar entre si e tomar decisões por conta própria, além de permitirem a interação com a atividade humana. O objetivo é atingir uma maior flexibilidade do processo logístico frente às variações de demanda”, detalha o vice-presidente.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta