Implementos rodoviários continuam em lenta recuperação

vendas de implementos rodoviários

A Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários (ANFIR) divulgou os números do setor referentes ao período de janeiro a setembro deste ano.

Apesar dos números positivos, o setor está muito longe de repor as perdas acumuladas nos últimos anos.

A recuperação econômica do Brasil segue em ritmo lento e um dos reflexos é o desempenho nos emplacamentos de implementos rodoviários. De janeiro a setembro desde ano a indústria entregou ao mercado 63.851 unidades, pouco mais da metade do registrado em igual período de 2014, antes da crise, quando o setor emplacou mais de 117 mil unidades.

“A economia como um todo está reagindo lentamente apesar do desempenho aquecido do agronegócio”, afirma Norberto Fabris, presidente da ANFIR.

Segundo Fabris “sem a recuperação completa ficamos diante de dados parciais que resultam em efeito estatístico que mascara a realidade”, explica. Sem a retomada sólida dos negócios, afirma o presidente, a indústria demorará mais tempo para repor as perdas acumuladas nos anos de crise.

No segmento de reboques e semireboques o setor entregou ao mercado 31.793 unidades, ante 17.326 no mesmo período de 2017, uma alta de 83,5%. Já as carrocerias sobre chassis tiveram 32. 058 emplacamentos, ante 24.298 no mesmo período de 2017, uma alta de 31,94%.

No total foram emplacados 63.851 implementos, 53,4% a mais em comparação a 2017, quando foram emplacadas 41.624 unidades.

 “Nosso País tem uma economia bastante diversificada e não podemos projetar crescimento olhando só para um setor, mas sim considerando todos os segmentos da economia”, conclui Fabris.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta