21 de abril de 2024

Honda CiKoMa é capaz de se comunicar com o usuário

Honda CiKoMa

A Honda realizou uma demonstração das tecnologias que estão sendo desenvolvidas para a micromobilidade. Batizadas de Cooperative Intelligence (CI) e IA Honda, as tecnologias desenvolvidas pela empresa japonesa permitem o entendimento mútuo entre máquinas e pessoas. A chamada “tecnologia de compreensão da intenção do usuário” faz com que o veículo reconheça e estabeleça comunicação com o usuário através gestos e até diálogos.  

Outra novidade dos veículos de micromobilidade é a capacidade de condução cooperativa sem mapa, que possibilita o veículo se auto-dirija enquanto reconhece e analisa vias e arredores para formular automaticamente sua rota de direção sem depender de mapas de alta precisão. Segundo a empresa, estes são os primeiros veículos no mundo que podem reconhecer estradas e mapear rotas de forma independente.

Honda CiKoMa

Para a demonstração a Honda se utilizou de um microcarro de dois lugares e um modelo para quatro passageiros assemelhado a um carro de golfe.

Os EVs estão sendo desenvolvidos sob a marca Honda CiKoMa de mobilidade de última geração, uma tecnologia alimentada por câmeras de reconhecimento espacial e inteligência artificial. A Honda começará a testar oficialmente os veículos em um acampamento ao norte de Tóquio no final deste mês e pretende tornar os veículos comercialmente viáveis ​até o final da década.

Os minicarros viajam a velocidades de 10 a 15 km por hora – quase tão rápido quanto uma bicicleta. Eles diminuem a velocidade nas curvas e, ao se aproximar de um cruzamento, o motociclista pode escolher a próxima direção manipulando um joystick.

Com quatro baterias substituíveis instaladas sob os assentos, espera-se que tenham um alcance de 20 a 30 km com uma carga. Eles podem ser iniciados apenas pressionando um botão no painel de toque e não exigirão o uso de pedais convencionais de acelerador ou freio.

Usando a IA, os veículos podem responder aos passageiros que pedem carona.

“O experimento de demonstração com os minicarros EV melhorará a tecnologia de IA”, disse Yuji Yasui, engenheiro-chefe executivo da Honda R&D.

Os VEs de micromobilidade seriam facilmente acessíveis por motoristas de primeira viagem e idosos. Espera-se que a demanda seja forte nas áreas rurais e como ferramenta para reduzir as emissões de carbono.

A tecnologia de comunicação permite ao veículo ter uma compreensão humana de palavras e gestos, pensar e fazer propostas por conta própria 

Uma das funções permite que o usuário e o veículo comuniquem o que estão vendo um ao outro e alcancem um entendimento mútuo de para onde estão se movendo enquanto têm trocas naturais semelhantes às humanas. 

Outra função é a capacidade de determinar as características distintivas de vários candidatos a usuários e identificar o usuário por meio de diálogo e perguntas.

Além destas, o veículos ainda  é capaz de fazer propostas, levando em consideração as condições do ambiente, assim como as pessoas fazem. Ao registrar as experiências humanas como “conhecimento prévio”, a máquina pode negociar/fazer propostas evitando fatores negativos como quebra de regras, maus modos e situações perigosas.

Veja também: Concept-i, os “veículos emocionais” da Toyota

O usuário pode chamar o Honda CiKoMa usando palavras e entrar no carro autônomo e se aproximar do CiKoMa, especificando o local de embarque preferido por palavras e gestos. Durante o passeio, o usuário pode direcionar o curso da CiKoMa operando o joystick, permitindo a condução cooperativa com base tanto na intenção do usuário em escolher o curso à vontade quanto na tecnologia de direção automatizada da CiKoMa.

O CiKoMa foi desenvolvido como um veículo que os usuários podem chamar e subir quando precisarem e descer e soltar onde quiserem. Aproveitando essa natureza onipresente do CiKoMa, a Honda está se esforçando para popularizá-lo como um meio de transporte casual para negócios, passeios turísticos ou um passeio rápido pela cidade.