19 de maio de 2024

Hidrogênio branco: a nova promessa de energia limpa

hidrogênio branco

O hidrogênio tem sido apontado como o “combustível do futuro”. Só emite calor e água quando queima, o que o torna uma alternativa atraente aos combustíveis fósseis.

Mas a maior parte da produção de hidrogênio depende atualmente do gás ou do carvão, em processos que emitem muito CO2.

O hidrogênio “verde”, produzido a partir de energias renováveis, oferece uma alternativa promissora, mas dispendiosa . E se houvesse uma maneira de eliminar completamente esses processos de produção?

A Terra contém vastos suprimentos de hidrogênio natural que poderia ser extraído do solo.

Uma enorme descoberta deste chamado hidrogênio “branco” na França, no início deste ano (2023), despertou o entusiasmo de que este poderia tornar-se uma fonte de energia limpa, barata e renovável.

Pesquisadores do Centro Nacional de Pesquisa Científica da França, estavam avaliando a quantidade de metano nos subsolos da bacia de mineração de Lorena, no nordeste da França – ironicamente uma das regiões européias que mais produz carvão –,  quando descobriram a presença de um grande reservatório de hidrogênio abaixo. Eles estimaram que o depósito poderia conter entre 6 milhões e 250 milhões de toneladas métricas de hidrogênio.

A Suíça também encontrou hidrogênio natural no cantão dos Grisões e começou a sondar as rochas do Valais, ao sul do país, em busca de mais depósitos.

O que é hidrogênio branco?

O hidrogênio é o elemento químico mais abundante na Terra e ocorre naturalmente em tudo, desde a água até as plantas.

Até recentemente, no entanto, não se pensava que quantidades significativas de gás hidrogênio na sua forma pura estivessem presentes no planeta.

Uma descoberta acidental foi feita no Mali em 2012. Descobriu-se que um poço perfurado décadas antes emitia hidrogênio natural quase puro.

Desde então, os geólogos têm feito cada vez mais experiências com a extração deste gás natural – que se pensa ser formado através de reações água- minerais – abaixo da superfície da Terra.

Ao contrário das reservas de combustíveis fósseis , que levam milhões de anos a formar-se, o hidrogênio natural ou “branco” é continuamente reabastecido.

O hidrogênio branco é o futuro da energia segura e limpa?

Ainda não está claro exatamente como se formam os depósitos de hidrogênio branco e se eles são comercialmente exploráveis. Startups e cientistas estão explorando essa possibilidade – com alguns resultados promissores.

Embora a maior parte do hidrogênio natural seja provavelmente encontrada em locais inacessíveis, em alto mar, foram descobertos depósitos na Austrália, Europa Oriental, França, Omã, Espanha e EUA, bem como no Mali, na África Ocidental.

No nordeste da Espanha, a empresa de exploração Helios Aragón afirma ter localizado um reservatório de mais de um milhão de toneladas de hidrogênio, que pretende começar a perfurar em 2024.

Mostra-se promissor como uma alternativa barata ao hidrogênio verde, que custa atualmente cerca de R$ 26 o quilo. O hidrogênio branco custa apenas R$ 2,63 por quilo, de acordo com a revista Science.

O combustível poderia ser mais adequado para veículos pesados ​​que não podem usar baterias facilmente, como caminhões, navios e aviões, bem como para a indústria siderúrgica e processos químicos como a produção de fertilizantes.

Alguns cientistas dizem que a falta de dados sobre fugas de hidrogênio e os danos potenciais que podem causar é um problema para a indústria emergente.

Se o hidrogênio penetrar na atmosfera, poderá reduzir a concentração de moléculas que destroem os gases com efeito de estufa, contrariando os seus benefícios ambientais.

Com a falta de tecnologia para monitorizar as fugas de hidrogênio, este pode ser um grande ponto cego. Tal como acontece com outras fontes de hidrogênio, (o hidrogênio natural) precisa de ser manuseado com cuidado para reduzir os riscos de segurança e evitar fugas.

Mas pode não ser um risco ambiental tão significativo como alguns acreditam.

Pesquisa na Universidade do Texas, que foi apresentada em Nova Orleans, conclui que o impacto indireto no aquecimento global das emissões fugitivas de hidrogênio é na verdade muito pequeno em comparação com outros impactos de gases de efeito estufa no ciclo de vida, então o efeito estufa os riscos de vazamentos indesejados de hidrogênio são menores.

Um arco-íris de hidrogênio

Um arco-íris de cores é usado como uma abreviação para os diferentes tipos de hidrogênio. “Cinza” é feito de gás metano e “marrom” do carvão. O hidrogênio “azul” é o mesmo que o cinza, mas a poluição de aquecimento do planeta produzida é capturada antes de entrar na atmosfera.

O mais promissor do ponto de vista climático é o hidrogênio “verde”, feito usando energia renovável para dividir a água. No entanto, a produção continua em pequena escala e cara.

É por isso que o interesse pelo hidrogênio branco, uma fonte potencialmente abundante e inexplorado de energia limpa, aumentou nos últimos anos.