Frota elétrica da Porto Seguro coloca eficiência operacional a favor da mobilidade urbana

Frota elétrica da Porto Seguro

 

Tudo começou com o uso de bicicletas elétricas nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, em 2008, para cumprir alguns dos serviços oferecidos aos clientes, como trocas e cargas de baterias e trocas de pneus. A Porto Seguro percebeu que a versão elétrica da bicicleta poderia ser uma boa alternativa para os técnicos-colaboradores da empresa porque dava a eles a agilidade necessária para atender aos chamados dos segurados ao mesmo tempo em que contribuía para redução do trânsito, menor emissão de poluentes e ruídos e melhora da mobilidade urbana como um todo.

De lá para cá, a frota elétrica da Porto vem crescendo e hoje a empresa conta com uma frota elétrica respeitável, com um total de 75 veículos distribuídos em motos elétricas, bicicletas elétricas e 15 carros elétricos, modelo Renault Twizy.

“A Porto Seguro busca continuamente implementar ações que contribuam com a redução do impacto ambiental e a frota elétrica é uma iniciativa alinhada a esse objetivo. No caso específico dos carros elétricos, eles oferecem um atendimento mais ágil devido ao pequeno tamanho do Renault Twizy, contribuindo para a melhora da mobilidade urbana e para a redução da emissão de gases poluentes, sendo uma opção mais sustentável que os veículos tradicionais”, declara Renata Aguiar, gerente de marketing institucional da Porto Seguro.

Atualmente, a empresa mantém os carros elétricos – que começaram a entrar na empresa em abril de 2017 – e as motocicletas elétricas circulando apenas na cidade de São Paulo, principalmente em locais de trânsito mais intenso e com grande concentração de clientes. As motos são 100% elétricas, ou seja, não emitem poluentes e ainda permitem um deslocamento mais ágil no trânsito urbano. Elas são usadas em atendimentos da Porto Seguro Auto, como carga e venda de bateria e a troca de pneus. Já as bicicletas elétricas ainda circulam nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro.

 

“Para cada tipo de veículo, pensamos no máximo da eficiência logística. Os carros elétricos estão em regiões mais horizontais e de distâncias mais curtas para o veículo pequeno, mas que não permitem que o prestador vá caminhando. Já a bicicleta fica em regiões como as das avenidas Paulista e Higienópolis, em que há concentração de prédios e maior dificuldade em estacionar”, explica Renata.

O Renault Twizy é um veículo de categoria híbrida (quadriciclo/carro), 100% elétrico e pode ser carregado em tomadas comuns de 110 V. De acordo com dados da Porto, para uma recarga completa são necessárias 3h30. Os veículos usados pela empresa têm autonomia de 80 km e podem atingir velocidade de até 80 km/h. Em termos de segurança, o Twizy conta com airbag, freio a disco e cinto de segurança duplo. Do ponto de vista ambiental, por ser totalmente elétrico, tem como principal atributo não emitir materiais particulados que são geralmente gerados pela queima de combustível fóssil. Além disso, esse pequeno carro ocupa três vezes menos espaço que um veículo tradicional, contribuindo para melhorar a mobilidade urbana, e é 95% reciclável porque foi projetado com materiais renováveis. Sua desmontagem é simples e os componentes podem ser separados com facilidade permitindo a reciclagem de partes e o tratamento adequado de resíduos.

Os 15 veículos elétricos da Porto são usados pelos prestadores de serviço para atender a segurados da Porto Seguro Auto, em trabalhos como troca e carga de bateria e a troca de pneu, da Porto Seguro Faz e da Porto Seguro Residência, no atendimento de serviços de hidráulica e elétrica, instalação de varal de teto, prateleiras, suportes e ganchos, instalação de microondas, lava-roupas e ventiladores e desentupimento de ramais internos.

Segundo Renata, a possibilidade de ampliação da frota elétrica da Porto está relacionada às oportunidades, à necessidade logística e à viabilidade de expansão que vêm sendo avaliadas continuamente.A iniciativa de veículos elétricos já foi ampliada desde o seu início com as bicicletas, a partir da adoção do uso de transporte público e aquisição das motos e carros elétricos”, diz a executiva. Ela diz que ainda não há planos para incorporar veículos autônomos à frota, mas ressalta que “a Porto Seguro está sempre avaliando o que há de novidade no mercado.”

Vale destacar que além da iniciativa de investir na motorização elétrica para contribuir com a mobilidade urbana e o meio ambiente, a Porto também implementou, desde 2016, o atendimento aos segurados com uso dos meios de transporte público convencionais para alguns prestadores de serviço de São Paulo. “Além de atender com agilidade os clientes, essa iniciativa busca contribuir para a melhoria da mobilidade urbana, utilizando a estrutura de transporte público disponível na cidade. Os atendimentos realizados a clientes Porto Seguro Auto, Porto Seguro Faz e Porto Seguro Residência são serviços de hidráulica e elétrica, instalação de varal de teto, prateleiras, suportes e ganchos, instalação de microondas, lava roupas e ventiladores e desentupimento de ramais internos”, ressalta a empresa em seu site.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta