Intel vai criar uma frota de 100 veículos autônomos

Frota da Intel com 100 veículos autônomos

A Intel anunciou que começará a testar seu sistema de condução autônoma em condições reais. Para isso a empresa vai criar uma frota com 100 veículos de várias marcas e modelos, totalmente autônomos (nível 4), para testes nos Estados Unidos, Israel e Europa. Os primeiros veículos serão implantados no final deste ano. A diversidade de marcas e modelos de veículos atende ao objetivo da Intel de criar uma solução que possa ser vendida a qualquer montadora. A Intel garantiu ainda que estes carros vão incluir novos conceitos relacionados com os mapas e segurança.

 

 

 “Construir carros e testá-los em condições reais fornece feedback imediato e acelerará a entrega de tecnologias e soluções para veículos altamente autônomos”, disse Amnon Shashua, vice-presidente sênior da Intel Corporation e futuro CEO / CTO da Mobileye.  “A diversidade geográfica é muito importante, pois diferentes regiões têm estilos de condução muito diversos, bem como diferentes condições de estrada e sinalização. Nosso objetivo é desenvolver tecnologia de veículos autônomos que pode ser implantada em qualquer lugar, o que significa que precisamos testar e treinar veículos em diferentes locais “.

 

Entregar 100 carros de teste muito rapidamente irá demonstrar como este sistema híbrido pode ser adaptado para atender às necessidades dos clientes”, disse Shashua. “Nenhuma das duas empresas poderia fazer isso sozinha. Dado os conjuntos de habilidades residentes dentro das duas empresas, uma frota autônoma de veículos de teste é possível quase que imediatamente “.

A combinação da Intel e da Mobileye permitirá que a experiência de visão por computador da Mobileye venha a complementar a experiência de computação e conectividade de alto desempenho da Intel para criar soluções automáticas de condução de nuvem para veículos. A Intel estima que a oportunidade de mercado dos sistemas de veículos, dados e serviços seja de até US $ 70 bilhões em 2030.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta