Exportação dá suporte à indústria de carrocerias de ônibus

Exportação de carrocerias de ônibus

A produção de carrocerias para ônibus no primeiro semestre do ano mostrou certa recuperação, apesar de ainda estar abaixo do nível registrado em igual período de 2016. De janeiro a junho, as seis maiores fabricantes do país – Marcopolo, Caio Induscar, Comil, Irizar, Neobus e Mascarello – produziram 6.444 carrocerias, número 6,5% inferior às 6.890 unidades feitas nos primeiros seis meses do ano passado.

 

Os resultados de cada marca de ônibus variaram entre positivos e negativos. A maior indústria do setor, a Marcopolo, mostrou melhoria de 6,3% no volume produzido entre janeiro e junho deste ano, somando 2.353 unidades, frente a 2.213 nos primeiros seis meses do ano passado (Marcopolo + Marcopolo Rio – antiga Ciferal). A maior alta percentual foi atingida pela Irizar, com crescimento de 42% na produção, passando de 119 carrocerias para 169 unidades no período em análise. Em número de veículos fabricados, a Caio aparece em segundo lugar, com alta de 11,4% na produção, subindo de 1.932 carrocerias para 2.152 unidades no período em análise.
A principal baixa foi registrada pela Comil, que já vem passando por sérias dificuldades, incluindo o fechamento de uma de suas plantas fabris. A produção da encarroçadora caiu 56% no semestre, baixando de 829 carrocerias fabricadas de janeiro a junho de 2016 para apenas 357 ônibus feitos nos primeiros seis meses de 2017. A Mascarello produziu 26,1% menos veículos no período, baixando de 1.025 (janeiro a junho de 2016) para 757 unidades; e a Neobus diminuiu em 15% sua produção, de 772 ônibus feitos no primeiro semestre de 2016 para 656 ônibus de janeiro a junho de 2017.

Exportações

A exemplo da indústria de chassis para ônibus, a exportação foi a grande propulsora dos fabricantes de carrocerias para ônibus no primeiro semestre do ano. Foram exportadas, entre janeiro e junho, 2.212 carrocerias, um aumento de 33,8% sobre as 1.653 vendidas ao exterior em igual período de 2016.

 

Exportação de carrocerias de ônibus

Percentualmente, o maior índice coube à Neobus que vendeu 251 veículos para mercados externos, uma alta de 298% ante os 63 exportados no primeiro semestre do ano passado. A Irizar exportou praticamente toda sua produção, já que comercializou 164 ônibus para outros mercados, volume 49% superior às 110 unidades exportadas no mesmo período do ano passado.
As vendas da Caio para o exterior cresceram 53,6%, aumentando de 168 carrocerias exportadas nos primeiros seis meses de 2016 para 258 unidades no primeiro semestre de 2017.
As exportações da Marcopolo somaram 1.020 carrocerias no acumulado de janeiro a junho deste ano, volume 28,5% superior às 794 unidades comercializadas no mercado externo em igual período de 2016.
A Mascarello teve um aumento de 16,2% nas exportações, passando de 321 (janeiro a junho de 2016) para 373 carrocerias vendidas no exterior no primeiro semestre deste ano. A Comil foi a única encarroçadora com queda nas exportações. Suas vendas para mercados externos somaram apenas 146 unidades, 26% menos que as 197 unidades registradas em igual período do ano passado.

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta