Estudo do Grupo HP e Metro-SP serve de modelo para concessão do Metrô de Brasília

Metro-DF

A Secretaria de Transporte e Mobilidade do Distrito Federal (Semob), divulgou que escolheu o estudo desenvolvido entre a parceria da Urbi Mobilidade, empresa do Grupo HP Transportes, e a Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô-SP), para servir de base para um futuro edital de licitação que pretende fazer da gestão do Metrô-DF, uma Parceria Público-Privada (PPP). De todos os grupos que foram selecionados, esse é o único que conta com a participação de uma operadora de transporte público coletivo.

Desde a criação, no ano passado, de sua subsidiária, a Metrô Consulting, o Metrô-SP vem se preparando para participar de projetos de concessão de operação e manutenção de ramais de sistemas sobre trilhos no exterior e em outras cidades do Brasil.

Foi a primeira vez que o Metrô de São Paulo se uniu a uma operadora de transporte público coletivo para realizar um estudo de viabilidade com foco numa operação conjunta, formando o único consórcio que integra empresas que oferecem transporte por ônibus, transporte público sob demanda e metrô.

“Essa parceria e seu resultado, foram muito importantes para o nosso Grupo, uma vez que acreditamos na integração multimodal. Pela nossa experiência com transporte coletivo (ônibus e metrô), transporte coletivo sob demanda, como o CityBus 2.0, a integração entre todas essas vertentes de transporte é o futuro das cidades”, esclarece Lucas Santos, diretor executivo da Urbi Mobilidade, empresa do grupo HP Transportes.

Entre as principais melhorias constantes do estudo selecionado, destacam-se:

• Reforma de todos os trens em operação nos serviços metroviários do Distrito Federal, com destaque para a instalação de sistema de climatização (ar-condicionado) em toda a frota;

• Aquisição de 10 novos trens a partir do décimo ano de concessão;

• Melhoria das estações – com a reforma das instalações e de seu entorno e adequação completa para garantir acessibilidade universal para os usuários;

• Integração mais efetiva com o sistema de transporte por ônibus, dando mais alternativas de deslocamento para a população;

• Redução do intervalo entre os trens no período de maior demanda em aproximadamente 40% (de 215 para 130 segundos).

Com os aperfeiçoamentos propostos, espera-se aumentar, ao longo do período de concessão, em 70% o número de usuários atendidos diariamente pelos serviços metroviários (de aproximadamente 178 mil para cerca de 300 mil usuários em dias úteis).

Espera-se, também, uma redução média de, aproximadamente, R$ 100 milhões nas subvenções feitas pelo Governo do DF para manter a operação do serviço do Metrô-DF.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta