Estacionamentos inteligentes

Cada cidade decide se deve cobrar e qual a melhor maneira para cobrar pelo estacionamento de automóveis em suas vias, mas num país onde é comum, em qualquer rua em que se quer parar, aparecer um “flanelinha” para cobrar algum valor, determinadas soluções podem levar vantagem para afastar esses atravessadores que têm vendido até mesmo a chamada Zona Azul Digital com algum ágio, como foi recentemente noticiado na cidade de São Paulo.

Um equipamento inteligente para gerenciar vagas de estacionamento tem sido adotado por diversos municípios e funciona de maneira que ajuda a evitar delitos.

O Parquímetro Street pode ser instalado em diferentes modelos de zona azul (estacionamento rotativo pago) e é um equipamento de autoatendimento, ou seja, está sempre à disposição dos usuários. Ele também dá liberdade de escolha entre diferentes formas de pagamento para que o motorista possa optar pela que melhor lhe convier naquele momento. A tecnologia aceita moedas, cartões pré-pagos (é compatível com cartões de transporte público, como, por exemplo, o Bilhete Único) e cartões bancários de débito e de crédito. É um leque de escolhas que deixa quase nenhuma margem para a ação de intermediários.

 

Parquímetro aceita moedas, cartões pré-pagos (é compatível com cartões de transporte público) e cartões bancários de débito e de crédito. É um leque de escolhas que deixa quase nenhuma margem para a ação de intermediários

 

Além disso, o equipamento é ecologicamente correto porque funciona a energia solar, com uma placa solar instalada no topo do próprio parquímetro para alimentar o sistema.

Segundo dados da empresa que desenvolveu a solução, a Digicon, atualmente estão instalados mais de 4 mil desses equipamentos em mais de 80 cidades do país.

A aceitação de cartões de débito e crédito é mais recente, foi iniciada no último mês na cidade de Gravataí (RS) e um projeto piloto está agendado para começar em breve na cidade de Santo André (SP). Ainda existe a perspectiva de iniciar a operação também nas cidades de Poços de Caldas (MG) e Sumaré (SP). Nas capitais, o Parquímetro Street funciona em Florianópolis (SC), Vitória (ES), Palmas (TO) e Rio Branco (AC).

Levantamento da Digicon mostra que nas cidades onde existe a  operação mista com parquímetros e aplicativos de celular, os percentuais de venda se concentram entre 80% e 95% nos parquímetros e de 5% a 20% em aplicativos de celulares. Do percentual dos parquímetros, 80% a 90% dos pagamentos são feitos com moedas e de 10% a 20% com cartões pré-pagos.

Há ainda uma utilidade paralela desses parquímetros que, por serem terminais de autoatendimento, podem realizar outras funções como recarga de créditos para transporte (Recarga do Bilhete Único) e emissão de tíquetes ou passagens unitárias (com código de barras e QR Code).

A gestão dos parquímetros é feita totalmente via web, informando relatórios de movimentações financeiras, eventos e resumo diário, o que torna os processos mais transparentes para as empresas operadoras e órgãos de gestão e fiscalização municipal.

Os dois municípios que mais recentemente adotaram os parquímetros a energia solar foram Gravataí, na Região Metropolitana de Porto Alegre, que instalou 12 parquímetros no centro da cidade, e Garibaldi, na Serra Gaúcha, que implantou  20 equipamentos.

Vale destacar que mercados da Argentina, Colômbia e México já consultaram a Digicon para fazer cotações do Parquímetro Street. A Digicon projeta a comercialização de mais de 1,6 mil novos equipamentos até o final de 2018, ampliando em cerca de 40% o número de parquímetros em funcionamento no país.

 

Sistema implantado no município de Águas de São Pedro (SP), tem sensor que detecta o carro e atualiza número de vagas em tempo real. Além dos avisos, o usuário pode se informar se há vagas livres por meio de um aplicativo no celular ou via website

 

Outra solução inteligente para estacionamentos foi adotada pelo município de Águas de São Pedro (SP), desta vez em uma área livre de cobrança. A cidade implantou na via pública um sistema chamado de SmartPark Out, semelhante ao que é usado em estacionamentos de shopping centers, com um totem no início da rua que indica, em um painel luminoso, o número de vagas disponíveis para estacionar. Quando o veículo estaciona na vaga livre, um sensor detecta o carro e comunica ao sistema para atualizar os números do painel em tempo real. Além dos avisos no totem, o usuário pode se informar se há vagas livres por meio de um aplicativo no celular ou via website. A solução foi desenvolvida pela empresa Smart Motion.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta