Em ano mágico, Volvo guia os planos para o futuro da eletromobilidade

Grupo Volvo

O balanço de 2018 revela um ano emblemático para o Grupo Volvo no Brasil e no mundo. Simplesmente a empresa registrou o melhor ano em sua história no globo ao crescer 17%. Internamente, o sucesso também é histórico: liderança do FH 540 cv 6X4 e aumento de 79% das vendas – feito que aumentou o share e a impulsionou para a vice-liderança do mercado.

Com tudo isso, a empresa projeta crescimento de pelo menos 30% nas vendas em 2019 no país. Para aproveitar as oportunidades, a Volvo ampliará em R$ 250 milhões o investimento de R$ 1 bilhão do triênio que se encerra em 2020. Novos 300 funcionários foram contratados no início do ano e alguns setores da montadora em Curitiba já operam em três turnos.

“Ao lado de nossos fornecedores, estamos nos reforçando para atender da melhor maneira possível todas as necessidades dos nossos clientes”, afirmou Wilson Lirmann, presidente do Grupo Volvo América Latina. Se tivesse um suporte maior, a empresa poderia ter obtido resultados melhores ainda em 2018.

“Foi um desafio atender o forte crescimento no ano passado, priorizando, o que é essencial para nós: a rentabilidade”, reforçou Lirmann. “É isso (o lucro) que nos garante a sobrevivência para oferecermos as soluções em um futuro próximo em que o mundo entrará na era da eletromobilidade”, enfatizou o executivo.

De fato, após perdas no balanço em 2015 e 2016, empate em 2017, a Volvo retomou a lucratividade no ano passado, com o mercado nacional sendo responsável por absorver 55% da produção do grupo na América Latina, patamares semelhantes ao do período pré-crise, mostrando a força da economia brasileira.

Neste ano, a perspectiva da Volvo é seguir recompondo suas margens e melhorando ainda mais a rentabilidade do grupo na produção de caminhões acima de 16 toneladas, pesados, extrapesados, chassi de ônibus, máquinas amarelas, fora de estrada, serviços financeiros, consórcios, autopeças e telemetria, entre outros – além da América Latina, Curitiba é base provedora de soluções para outros mercados no mundo da Volvo.

Na visão dos executivos do grupo, a economia brasileira continuará se recuperando, abrindo espaço maior para a recuperação do mercado de caminhões. “Com as reformas estruturais que o Brasil deve promover para reduzir seus déficits, os investimentos devem ser retomados na infraestrutura”, disse.

Em 2018, as vendas da Volvo foram puxadas principalmente pelos setores do agronegócio, como o sucroalcooleiro e madeira. No segmento de semi-pesados, o resultado não foi tão promissor quando o dos grandes veículos em razão de a distribuição nas cidades ainda não ter retomado sua força em razão do desemprego em setores industriais e de serviços,

O mais vendido

O FH 540cv 6×4 acumulou vendas de 4.11 unidades, sendo o recordista de todos os segmentos no Brasil – na América Latina também ficou na liderança. O feito ajuda a rentabilizar a empresa visto que um caminhão deste porte, até pelo conjunto da tecnologia embarcada, é dos mais caros do mercado. Ao todo, os caminhões pesados aumentaram as vendas em 2018 de 81%.

Alcides Cavalcante, direto comercial de caminhões Volvo - Grupo Volvo

“O crescimento de vendas é consequência direta de atributos da marca Volvo reconhecidos pelo mercado”, afirmou Alcides Cavalcante, direto comercial de caminhões Volvo. O executivo também destaca a participação da Volvo em nichos do mercado de reposição para garantir a operação de veículos com maior rodagem, além de serviços de telemetria que orientam manutenção preventivas.

Ônibus

Outro destaque da Volvo foi no segmento de ônibus pesados, onde a empresa registrou crescimento de 114% e, com isso, recuperando volumes perdidos com a crise que derrubou as vendas em 2015. O mercado total nacional de ônibus cresceu 28% no ano passado, segundo dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

Fabiano Todeschini, presidente do Volvo Buses Latin America - Grupo Volvo

A boa notícia é que o crescimento verificado em 2018 deve se manter no mesmo ritmo neste ano”, acredita Fabiano Todeschini, presidente do Volvo Buses Latin America. Em pesados, a Volvo emplacou 300 ônibus, no Brasil em 2018. Já na América Latina foram 908, número estável em relação ao ano anterior.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta