21 de abril de 2024

Eco-Runner, movido a hidrogênio, quebra recorde mundial

Eco-Runner

Em junho, uma equipe de estudantes da Delft University of Technology, na Holanda, estabeleceu um recorde mundial do Guinness para a maior distância percorrida por um carro com um único tanque de combustível de hidrogênio. O minúsculo carro percorreu 2.488 quilômetros sem reabastecer, o que é um pouco mais que a distância entre São Paulo e Maceió.

Eco-Runner XIII

O recorde foi alcançado pelo Eco-Runner XIII , a mais recente iteração do carro-conceito Eco-Runner no qual as equipes de estudantes da TU Delft trabalham há mais de uma década. A equipe estabeleceu o recorde mundial na pista de Immendigen, na Alemanha, ao longo de três dias, com apenas um quilo de hidrogênio. A tripulação dirigiu 71,5 horas em turnos rotativos de duas horas e só parou para trocar os motoristas.

Eco-Runner

O carro de três rodas pode rodar a 43 km/h e foi projetado para ser o mais eficiente possível. Isso fica evidente no formato exclusivo do Eco-Runner XIII, que diminui o arrasto aerodinâmico, e no baixo peso, que é de 71,5 quilos. Para minimizar as perdas de energia do carro, a equipe otimizou o sistema de powertrain com uma nova célula de combustível. As perdas de energia incluem resistência ao rolamento, arrasto do ar e as perdas que ocorrem ao converter hidrogênio em eletricidade e eletricidade em energia cinética.

Mesmo que o carro de uma pessoa não seja capaz de dirigir em estradas normais, a equipe espera que seus desenvolvimentos possam impulsionar a tecnologia de hidrogênio para mais perto do uso convencional. A equipe vê os carros movidos a hidrogênio como um complemento para outros veículos elétricos, não como um concorrente.

Como disse Eliane van Boxtel, gerente de operações da equipe Delf, “os carros elétricos também fazem parte da solução para a mobilidade sustentável, mas a rede elétrica já está lotada. Eletrizar o mundo inteiro não é uma opção. Hidrogênio e carros elétricos andam de mãos dadas. Não há um grande vencedor.”

Veículos movidos a hidrogênio

Usar hidrogênio como combustível tem sido uma solução de energia limpa cada vez mais popular em todo o mundo. O hidrogênio não produz poluentes nocivos ou gases de efeito estufa como dióxido de carbono ou dióxido de enxofre; os principais subprodutos da combustão do hidrogênio são calor e água. Como o hidrogênio pode ser produzido a partir da água por eletrólise usando energia renovável, ele também é abundante.

Com isso, espera-se que o mercado de veículos movidos a hidrogênio cresça nos próximos anos. De acordo com um relatório recente da Maximize Market, uma empresa global de pesquisa de mercado automotivo e de transporte, espera-se que a receita total do mercado de veículos com células de combustível de hidrogênio cresça a um CAGR (taxa de crescimento anual composto) de 45,3% de 2022 a 2029, atingindo US$ 17,88 bilhões até 2029.

O aumento de veículos movidos a hidrogênio já foi observado em carros como o Toyota Mirai, um veículo elétrico movido a hidrogênio. No segundo trimestre de 2023, o Mirai testemunhou um crescimento positivo de 64%. No Mirai, o hidrogênio do tanque de combustível é combinado com o oxigênio do ar externo para gerar eletricidade para fazer o motor funcionar. O carro é abastecido com hidrogênio da mesma forma que a gasolina é normalmente abastecida em um posto de gasolina; há uma bomba e um bocal e, à medida que você bombeia o hidrogênio, ele viaja para os tanques de combustível reforçados com fibra de carbono, onde é armazenado.

Outros veículos movidos a hidrogênio também foram anunciados recentemente. Por exemplo, o primeiro trem urbano movido a hidrogênio do mundo começou a operar na China em maio. O trem usa uma combinação de células de combustível de hidrogênio e supercapacitores como fonte de energia. Em agosto de 2022, a Alemanha inaugurou uma frota de 14 trens da Alstom movidos a hidrogênio. O Coradia iLint, é movido por uma célula de combustível de hidrogênio que fornece energia elétrica combinando o hidrogênio armazenado em tanques no teto e o oxigênio presente no ar ambiente.