Dnata substitui tratores a diesel por frota 100% elétrica no aeroporto de Guarulhos

tratores elétricos

A Dnata, empresa de ground handling que opera no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo, está trabalhando com frota 100% elétrica, desde o início de maio. Os 15 primeiros tratores elétricos para atendimento em solo chegaram em setembro do ano passado e pouco a pouco a frota a diesel foi sendo substituída pelas atuais 40 unidades 100% elétricas.

Os primeiros 15 tratores foram adquiridos da fabricante TLD, especializada na produção de equipamentos de apoio à aviação no solo, modelo TLD Jet 16. Os demais, que entraram em operação em maio, são da fabricante BYD, modelo Q250, que, segundo avaliação da Dnata possui bateria superior, que entrega praticamente o dobro de horas de utilização, com menor tempo de carga.

Os tratores são usados para rebocar carretas de malas, carga e correio e foram selecionados após avaliação de diferentes questões técnicas e ambientais. Segundo dados da empresa, além da não-emissão de poluentes, os equipamentos elétricos são mais versáteis nas manobras e deslocamentos em solo, mais seguros e confortáveis e operam silenciosamente, o que contribui para a saúde dos operadores que sofrem diariamente com o ruído intenso dos tratores convencionais.

O investimento feito na nova frota verde somou R$ 7,2 milhões e a ideia da empresa é substituir toda a frota a diesel por veículos elétricos nos 26 aeroportos em que opera no país.

“Estamos muito contentes com a frota 100% elétrica e o movimento agora se espalha pelo país, a exemplo do que a Dnata vem fazendo em todo o mundo. Fico feliz por estamos contribuindo para reduzir a emissão de poluentes em nossas operações em solo”, disse Ricardo Morrison, CEO da Dnata no Brasil. Mensalmente, a empresa atende a 3.180 voos de clientes regulares só no Aeroporto Internacional de Guarulhos e mais de 16.000 voos em todo o país.

A empresa pertencente ao Grupo Emirates e opera em 84 países na área de serviços aeroportuários, com grande atuação nas áreas de ground handling, comissaria, lounges, receptivos, agência de viagens e gestão de terminais de cargas.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta