Continental testa sistema de veículo autônomo em percurso internacional

continental

Dois veículos de condução automatizada viajarão mais de 300 milhas (cerca de 482 quilômetros) antes de chegarem a Traverse City, Estados Unidos, como parte de uma demonstração internacional entre fronteiras, a ser realizada pela Continental e pela Magna International Inc. A demonstração começará no sudeste de Michigan, também nos Estados Unidos, e culminará com os Seminários Anuais de Gestão do Centro para Pesquisa Automotiva.

Os veículos de condução automatizada atravessarão Windsor, em Ontário, Canadá, antes de irem para o norte em Sarnia, também em Ontário, e retornarem para Michigan. Como a primeira demonstração através de fronteiras desse tipo, este percurso permite que a Continental e a Magna, bem como o Departamento de Transporte de Michigan (MDOT, sigla em inglês) e o Ministério dos Transportes de Ontário (MTO, sigla em inglês), testem a tecnologia de condução automatizada em vários cenários.

Por meio da função Cruising Chauffeur da Continental, os veículos poderão assumir as tarefas de direção em várias estradas de acordo com as regulamentações de trânsito. Uma vez que a função estiver ativada, os dados analisados em uma unidade de controle central chamada Unidade de Controle de Direção Assistida e Automatizada (ADCU, sigla em inglês) serão utilizados para gerar um modelo de 360 graus dos arredores do veículo. Em combinação com um mapa de alta resolução, o sistema reconhece todos os objetos em movimento e estáticos bem como o layout da estrada à frente. O percurso demonstrará como os sensores de câmera, radar e LiDAR dos veículos irão interagir enquanto estiverem sendo conduzidos debaixo d’água no túnel de concreto Detroit-Windsor e, ainda, na ponte de aço Blue Water. O desenvolvimento mundial da condução automatizada da Continental inclui seis elementos-chave: tecnologia de sensores, conectividade de cluster, diálogo homem-máquina, arquitetura de sistema, confiabilidade e aceitação de condução automatizada.

“A Continental vem testando a condução automatizada em estradas públicas há mais de cinco anos e nossa abordagem é uma iniciativa global. As equipes de engenharia estão espalhadas por localidades nos Estados Unidos, Europa, China e Japão para garantir que as funções de direção e segurança possam ser facilmente adaptadas cada região”, afirma Jeff Klei, presidente da Continental América do Norte. “Aproximadamente 95% cento de todos os acidentes rodoviários envolvem erro humano. Salvar vidas e reduzir lesões sempre será nossa prioridade no desenvolvimento de novas tecnologias na Continental. Isso é o que chamamos de Vision Zero – nosso objetivo de não ter mortes, nem lesões, como resultado de acidentes de trânsito”.

Tanto Michigan quanto Ontário adotaram medidas para garantir que a região permaneça competitiva à medida que o cenário automotivo evolui. Em 2016, o governo lançou um pacote de projetos de lei que permite que veículos automatizados operem em estradas em todo o estado. No mesmo ano, Ontário tornou-se a primeira província a estabelecer uma estrutura regulatória para permitir o teste de veículos automatizados, tornando-se a única província a ter um programa piloto de veículo automatizado no Canadá. A longa história de colaboração entre Ontário e Michigan está não só impulsionando a inovação no setor automotivo, mas também conectando empresas em toda a fronteira e promovendo economias baseadas em conhecimento de ambos os países. Essas decisões ajudarão a garantir que o cluster automotivo dos Grandes Lagos surja como o epicentro da inovação automotiva.

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta