Conectividade e combustíveis alternativos são a aposta da Scania para a mobilidade

gnv

Serviços conectados e seus benefícios para otimizar a gestão da frota. Este foi um dos destaques da Scania durante a Lat.Bus 2018 – Feira Latino-Americana de Transporte, realizada em São Paulo.

O objetivo da montadora é atingir o maior número de clientes possíveis e apresentou ao mercado dois pacotes de conectividade, que, segunda a empresa, podem gerar até 14% de economia na operação.

O lançamento dos Serviços Conectados Scania no Brasil aconteceu em janeiro de 2017, mas desde maio de 2016 os veículos já estão saindo de fábrica com o Communicator. Este aparelho é um módulo que permite o uso dos dados operacionais via conexão móvel. Quando ativado, passa a enviar informações em tempo real da operação de forma remota e gerar relatórios periódicos. O público-alvo são todos os proprietários de ônibus da marca produzidos a partir de 2013, sejam os que ainda não possuem o Communicator ou também os fabricados a partir de maio de 2016, que já têm o aparelho de série.

serviços conectados Scania

O pacote Combo Standard é voltado para ônibus que ainda não estão conectados, ou seja, não possuem o módulo Communicator e o Combo Premium/Standard, é para os clientes que possuem veículos fabricados a partir de 2016 e contam com o aparelho de série.

“Com o ônibus conectado o cliente passa a ter uma gestão mais assertiva; com resultados mais efetivos e chegando ainda mais no detalhe da redução de custos”, explica Pietro Nistico Neto, gerente de Vendas de Peças e Serviços da Scania no Brasil. “O uso inteligente dos dados operacionais permite melhorar o desempenho do motorista, reduzir o consumo de combustível, diminuir o desgaste prematuro das peças e, também, auxilia a otimizar o tempo de parada para a manutenção”.

Além disso, segundo o gerente, por meio dos Serviços Conectados, a Scania oferece uma modalidade de manutenção na qual o cliente passa a pagar apenas pelo que rodar. “A vantagem é enorme, pois o cliente pagará somente pelo o que cada veículo rodar. Se não rodar, não paga. Ou seja, caso o ônibus fique parado o mês inteiro na garagem, não há custo por quilômetro rodado”, explica.

No Combo Standard, para os modelos de ônibus produzidos entre janeiro de 2013 a abril de 2016 (que ainda não possuem o Communicator instalado), a Scania oferece ao cliente pagar somente a taxa de adesão do aparelho, com valor reduzido durante o período de promoção. Assim, ganhará o Pacote Desempenho, o mais completo dos Serviços Conectados Scania, gratuitamente.

Para os modelos fabricados a partir de maio de 2016, que já estão com o módulo instalado, a Scania traz o Combo Premium/Standard, que oferece o Pacote Desempenho gratuitamente por 18 meses. Para que o cliente também experimente a gestão completa e personalizada de cada ônibus, pagando apenas pelos quilômetros que o veículo rodar.

GNV/biometano

Outra meta perseguida pela Scania, além da conectividade, é seu compromisso com um transporte sustentável com a redução de emissões de CO2.

Scania GNV/biometano

Assim a montadora segue com uma programação de demonstrações para apresentar o seu ônibus movido a gás natural veicular e biometano a empresas operadoras e órgãos gestores do transporte público de passageiros.

Em comparação com um veículo similar a diesel, o ônibus a gás emite 85% menos gases se abastecido com biometano, 70% menos se estiver com GNV, diminui a poluição sonora e reduz em torno de 28% o custo operacional por quilômetro rodado.

Para a Scania, a alternativa do veículo GNV/biometano oferece as melhores condições de sustentabilidade ambiental, tecnológica e financeira. Outras tecnologias como a eletrificação, implica em grandes custos na aquisição das baterias e alto investimento para implantação de infraestrutura de carregamento. O mesmo acontece com os veículos híbridos, que demandam altos custos de aquisição e operação. 

Há também o biodiesel como outra opção de combustível, porém, a alternativa enfrenta limitações técnicas em relação ao veículo. Outras possibilidades são o diesel de cana, o etanol aditivado e o HVO, espécie de óleo vegetal hidrogenado, ainda indisponível no Brasil, que possuem preços bastante elevados. Além de soluções ainda inviáveis economicamente, como o ônibus a hidrogênio.

A montadora afirma que seus veículos a gás recebem um trem de força que não só atende, como supera a geração mais avançada da legislação de emissões da Europa, a Euro 6. No Brasil, a lei atual exige conformidade com a norma equivalente a Euro 5. Os equipados com seis cilindros de armazenamento de gás, terão autonomia acima de 300 km. Caso a operação necessite de uma autonomia maior, é possível avaliar a colocação de mais cilindros.

Mercado

A Scania concluiu o primeiro semestre de 2018 com balanço positivo nos negócios de ônibus. Com emplacamento de 283 unidades, entre os modelos urbanos e rodoviários, a marca chega em 14% de crescimento em relação ao mesmo período do ano anterior, em que foram registradas 249 veículos no segmento acima de 8 toneladas.

Alan Frizeiro

“Estamos conseguindo manter nossos resultados conforme o planejado, convictos que o ano ainda trará grandes negociações e nos permitirá, assim como em 2017, encerrar o período com expressivo aumento”, afirma Alan Frizeiro, gerente de Vendas de Ônibus da Scania no Brasil. “Temos excelentes chassis em nosso portfólio, entregando reconhecidamente o melhor desempenho em consumo de combustível e disponibilidade. Nossos produtos comprovam cada vez mais sua rentabilidade e entregam ao cliente a melhor solução do mercado durante todo o ciclo de vida”, explica.

Com base nessa projeção positiva, a expectativa da Scania é encerrar 2018 com alta de 32%. Em 2017, a marca já havia registrado resultados positivos na divisão de ônibus, com a venda de 544 unidades, representada por uma alta de 84% em relação ao desempenho de 2016.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta