CityBus 2.0 completa um ano com 80 mil clientes

cityBus 2.0

Primeiro sistema de transporte público coletivo sob demanda da América Latina, o CityBus 2.0 iniciou sua operação em Goiânia no dia 11 de fevereiro de 2019, completando nesse mês seu primeiro ano de serviço. Nesse período, o sistema registra 80 mil clientes cadastrados.

O CityBus 2.0 foi implantado pela HP Transportes, empresa do segmento de transporte público coletivo que atua na Região Metropolitana de Goiânia, com o objetivo de transformar o transporte público coletivo e contribuir para a melhoria da mobilidade urbana.

A operação iniciou, em período de testes, com 15 miniônibus e abrangendo 11 bairros do centro da capital. Em julho a operação do CityBus 2.0 foi consolidada com a sua primeira expansão para mais 13 bairros, passando a atender um perímetro de aproximadamente 40,8 quilômetros quadrados. Em novembro, mais cinco bairros foram contemplados com nova expansão, passando o serviço a atender uma área total de 43 quilômetros.

Durante seu primeiro ano de funcionamento, estima-se que o CityBus 2.0 tenha retirado 6,5 mil veículos das ruas da capital de Goiás, já que 81% dos clientes do serviço vieram de modos individuais (carro, moto, apps e outros), segundo apurou pesquisa realizada por discentes de mestrado em Transportes da Universidade Nacional de Brasília (UNB), comprovando a tendência de troca de carros e transporte individual pelo serviço coletivo por aplicativo.

 Deslocamentos mínimos

O CityBus 2.0 pode ser considerado um serviço de esquina a esquina, já que o cliente precisa se deslocar, em média, 130 metros para encontrar o transporte no ponto virtual de embarque e desembarque.

 “Como o serviço é coletivo, o cliente tem que se deslocar alguns metros para aguardar o transporte. Isso garante viagens mais rápidas em percursos mais otimizados. Durante o dia são apenas alguns passos, às vezes, menos até do que costumamos andar entre o local em que estacionamos o carro e nosso destino. E à noite ainda tentamos reduzir essa distância para melhorar a segurança dos passageiros”, pontua Hugo Santana, diretor de transportes da HP Transportes.

 Melhorias e avaliação

À medida que o serviço foi se desenvolvendo, os miniônibus foram aperfeiçoados a partir da vivência e das sugestões dos clientes. Os veículos com assentos confortáveis e ar condicionado ganharam carregadores de tomada e USB para celulares e câmeras de segurança para monitoramento das viagens, oferecendo segurança para motoristas e clientes. Os passageiros passaram a contar duas possibilidades ETA – Estimated time of arrival (em português, tempo estimado de chegada), para escolher e poder planejar sua viagem com antecedência. Houve ainda o incremento do serviço aos domingos, atendendo também pedidos de clientes.

O serviço tem uma avaliação média dos usuários de 4,9, numa escala de 1 a 5 estrelas. Dentre os itens mais bem avaliados estão a conduta dos motoristas, que permanece em primeiro lugar, seguido de conforto e limpeza dos miniônibus, rotas e paradas do trajeto. Além disso, 98% dos clientes indicam o serviço.

Modelo é referência

A iniciativa em Goiânia é referência para outras cidades no país. Em dezembro, Fortaleza implantou o TopBus+, serviço de transporte público coletivo sob demanda, similar ao CityBus 2.0. A iniciativa do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus) tornou a capital cearense a segunda cidade brasileira a oferecer esse serviço. Em abril, está prevista a implantação do CityBus DF, que inicialmente circulará na região de Samambaia, Recanto das Emas e Riacho Fundo II. A operação será feita pela Urbi Mobilidade Urbana, empresa do grupo HP Transportes. “Queremos levar para o Distrito Federal a experiência do CityBus e uma nova cultura de mobilidade. Na medida em que o nosso cliente deixa seu carro em casa e viaja conosco, pode aproveitar o tempo do percurso para trabalhar, ler, conversar, e ainda contribuir para um trânsito melhor na cidade”, explica Indiara Ferreira, diretora executiva da HP Transportes.  

Ainda no primeiro semestre deste ano novos bairros devem ser atendidos em uma nova expansão. “Assim como as outras expansões e todas as melhorias que fizemos partiram a partir dos pedidos e sugestões dos nossos clientes, estamos estudando os setores com maiores solicitações para viabilizar a ampliação da operação”, adianta Santana.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta