Citroen lança o mini elétrico Ami que pode ser conduzido sem habilitação

Citroen Ami

Mostrado pela primeira vez como um conceito no ano passado, o Citroen Ami é um veículo de dois lugares absolutamente minúsculo, com apenas 2,41 m de comprimento e pesando apenas  485 kg, tecnicamente é classificado como um “quadriciclo leve” e pode ser conduzido sem necessidade de habilitação.

Com velocidade máxima de 45 km/h e autonomia para percorrer 70 km, o Ami é adequado para a cidade e se encaixa em praticamente qualquer vaga de estacionamento.

A Citroen, além de comercializar, também espera alugá-lo como uma solução de micromobilidade.

Citroen Ami

A montadora francesa disponibilizará o mini elétrico para aluguel mensal ou minuto a minuto. O Citroen Ami pode ser alugado por € 19,99 (cerca de R$ 99,00) por mês após efetuar um pagamento inicial de € 2.644 (cerca de 13 mil reais) ou estarão disponíveis por cerca de € 0,26 (R$ 1,28) por minuto através de parceiros como o Free2Move, além de uma assinatura mensal de € 9,90. Para aquisição o Ami sai por € 6.000 (cerca de R$ 29.600) e podem ser adquiridos on line e entregues diretamente em casa.

A construção e o design do Ami também são interessantes. A Citroën está enfatizando sua simplicidade, com o uso de portas simétricas, para-choques e até painéis sob a carroceria, mantendo o número mínimo de componentes exclusivos. Ele também possui um interior incrivelmente despojado, o que significa que você deve usar seu próprio telefone e um alto-falante Bluetooth se quiser um pouco de funcionalidade básica, como ouvir música.

Enquanto isso, um aplicativo complementar pode fornecer detalhes sobre o carro, como status de cobrança atual, quilometragem e alertas de manutenção. O aplicativo também pode ser usado para localizar pontos de carregamento próximos.

As pré-encomendas para o Ami estão programadas para abrir em 30 de março na França, seguidas por Espanha, Itália, Bélgica, Portugal e Alemanha. A Citroën espera que as primeiras entregas francesas comecem em junho.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta