CASE lança carregadeira compacta nacional na Agrishow

580N

A 580N, versão carregadeira da 580,  vem atender uma demanda por máquinas de construção de pequeno porte com as vantagens do produto nacional, como preço independente das oscilações cambiais, maior possibilidade de financiamento, além dos benefícios do incremento à industrial local. O novo modelo vai atender o mercado nacional e demais países da América Latina.

“O mercado de máquinas minis e compactas cresceu muito até três anos atrás, mas declinou com a valorização do dólar e a crise econômica. Em períodos de pouco investimento, o empresário acaba comprando o equipamento de médio porte, de maior versatilidade, embora nem sempre o mais adequado em determinas aplicações”, comenta o vice-presidente da CASE para a América Latina, Roque Reis.

Com a 580N versão carregadeira a CASE traz uma solução para o segmento de mini e compactos, já que o lançamento da marca é o único nacional. “O mercado de compactos tem futuro e a nacionalização vai aumentar as vendas”, afirma.

Configurações

A carregadeira compacta 580N tem motor FPT MAR-I / Tier 3 com 79 hp de potência líquida e peso operacional de 7.553 kg. Na comparação entre modelos da marca, a carregadeira compacta é um modelo intermediário entre a menor pá-carregadeira CASE, a W20E, com motor com 152 hp de potência líquida e peso operacional de 10.089 kg, e a maior minicarregadeira, a SV300, com potência líquida de 84 hp e peso operacional de 3.765 kg, explica França.

A operação dos comandos do implemento está concentrada numa única alavanca. Há ainda a opção de caçamba 4 em 1, que assegura a facilidade operacional e com ela pode-se laminar, carregar, agarrar, nivelar, escavar e espalhar material. A caçamba 4 em 1 tem volume de 0,8 m³ e capacidade de levantamento de 2.930 kgf. Ela é equipada com dois cilindros que movimentam a parte frontal, acionado por um botão proporcional integrado à alavanca de controle da carregadeira, que dá ao operador total domínio da velocidade de abertura/fechamento do implemento.

O modelo tem ainda transmissão Powershift S-Type, com a qual o operador seleciona a marcha ao girar uma alavanca na coluna de direção, eliminando a troca de marcha manual. Traz ainda a função kick-down, que permite redução de marcha de segunda para primeira ao pressionar um botão na mesma alavanca que faz a seleção de marcha ou na alavanca de controle da carregadeira, à escolha do operador.

“No manuseio de material empilhado, por exemplo, essa função é bastante utilizada e traz muito mais conforto de operação”, explica. Segundo França, outra função importante da transmissão é o ajuste da sensibilidade da modulação F/N/R (frente/neutro/ré), tornando-a mais suave ou mais rá- pida. A seleção também é facilmente realizada com dois botões e um display digital no painel de instrumentos. O modelo, que tem opções de cabine fechada ou aberta, também é equipado com sistema de filtragem de ar com Venturi na linha de exaustão, o que garante aumento do intervalo de troca de filtro. O novo freio de estacionamento aplicado por mola e liberado hidraulicamente (SAHR) pode ser acionado por botão, garantindo uma operação mais cômoda e segura.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta