Carros e equipamentos da Fórmula 1 começam a chegar em Viracopos

GP do Brasil de Fórmula 1

Começam a desembarcar amanhã (31/10), no Aeroporto Internacional de Viracopos em Campinas (SP), os carros e equipamentos que serão usados no Grande Prêmio Heineken do Brasil de Fórmula 1, que acontecerá no autódromo de Interlagos, nos dias 10, 11 e 12 de novembro. São mais de 600 toneladas de cargas que saíram do México, onde ocorreu o último GP, transportadas em sete aeronaves Boeing, modelos 747-400 e 747-800 até o terminal de carga do aeroporto.

A Célere, uma das empresas contratadas para o transporte e logística do evento, com 25 anos de experiência na Fórmula 1, acompanha toda a operação, desde a saída das aeronaves do México até o pouso em Viracopos. De acordo com informações da empresa, depois de descarregadas as aeronaves, a carga é novamente embarcada em caminhões específicos para cada tipo de equipamento, tanto das equipes competidoras quanto do pessoal de televisão. Carros e equipamentos são transportados em comboios de carretas até Interlagos, operação que deve envolver cerca de 80 carretas e mais de 200 viagens, com caminhões Scania.

“Chegando em Interlagos, a equipe Célere efetua o descarregamento, bem como o posicionamento nos boxes e na vila da TV”, explica Maria Regina Yazbek, superintendente da Célere.

Ela explica que a operação é muito delicada e demanda 100% de precisão, desde caminhões e empilhadeiras especiais no carregamento no aeroporto até o descarregamento em Interlagos e a entrada nos boxes. São mais de 350 colaboradores envolvidos nesta operação. Para o transporte rodoviário, o parceiro da empresa é a Transportadora Rodomeu.

Os trabalhos começaram com a carga marítima em 23 de outubro e vão até o término do GP, em 16 de novembro. Após a corrida, a empresa realiza o circuito inverso da chegada.

Esta é a 16ª operação consecutiva de desembarque e embarque de toda a carga do GP de F1 pelo aeroporto de Viracopos e este ano estão previstos quatro dias de chegada de equipamentos no aeroporto: 31/10, 01/11, 02/11 e 03/11. A operação envolve cerca de 50 pessoas de diversas áreas do aeroporto, de órgãos públicos e de empresas contratadas para o transporte e a logística.

“É uma honra receber o GP Brasil de Fórmula 1 mais uma vez e nosso objetivo é continuar a realizar esta operação no Terminal de Cargas de Viracopos, que é um dos mais seguros, ágeis e eficientes da América Latina”, afirmou Gustavo Müssnich, diretor-presidente da Concessionária Aeroportos Brasil Viracopos.

“A infraestrutura do terminal e a operação especial montada pelo aeroporto são essenciais para a eficiência operacional que o GP do Brasil de Fórmula 1 precisa”, disse Marcelo Mota, diretor de operações de Viracopos.

O Terminal de Carga (Teca) de Viracopos é um dos mais movimentados do país, responsável por quase 40% de toda carga aérea importada.

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta