Colaboradores da FPT compartilham carro para ir e voltar do trabalho

carona solidária da FPT

A prática de pegar carona está mais na moda do que nunca. O conceito de veículo compartilhado como uma atitude ambientalmente correta tem  estimulado essa prática e derivado diversas ações em ambientes corporativos.  

No Technical Center da FPT Industrial em Betim, Região Metropolitana de Belo Horizonte, colaboradores da empresa decidiram compartilhar o uso do carro na ida e na volta ao trabalho,reduzindo tempo de deslocamento, gastos com combustível e manutenção do carro,além de promover a integração entre colegas de diferentes áreas. O Carona Solidária da FPT, como é conhecido o grupo criado em um aplicativo de conversas por telefone, tem se mostrado uma iniciativa bem-sucedida e dia após dia conquista novos adeptos em prol de um mundo mais prático e sustentável.

Fundador do projeto, o gerente de Programas Antônio Navarro conta que a ideia surgiu depois que percebeu que colegas que moram em locais próximos sempre se encontravam no trajeto de 50 quilômetros entre Belo Horizonte e Betim, ou chegavam para trabalhar em horários aproximados. “Pensei, então, porque não compartilhar o carro? O grupo teve início em setembro de 2017com sete pessoas e hoje já são 12”, conta. O principal resultado, afirma, é a economia financeira, que chega a cerca de R$ 1.600 por mês nos carros, com a redução de gastos com combustível e itens de manutenção, como óleo, suspensão e pneus.

carona solidária da FPT

O cálculo mensal dos gastos de cada caroneiro fica a cargo de uma planilha administrada por Amanda Madeira, que trabalha na área de peças. O valor, explica ela, é rateado de acordo com o número de usuários por carro, o valor do combustível e a média da distância percorrida. “Calculamos o valor por dia e no final do mês é feita a contabilidade, considerando quantas vezes a pessoa pegou carona ou a forneceu”, afirma.

Para Gabriela Brito, da área de administração de vendas, o Carona Solidária é definido em duas palavras-chaves: economia e sustentabilidade. Gabriela utiliza aplicativos de carona com frequência e busca transportar o maior número de pessoas. “Além de tudo, a carona fornece a chance de conversar mais e se aproximar dos colegas de trabalho. É importante para uma melhor integração”. A opinião de Gabriela é compartilhada pelo gestor de projetos Diego David. “O primeiro resultado que tivemos foi a redução de custos e a agilidade no transporte. Também aproveitamos para fazer um networking conhecendo colegas de outras áreas”.

Para o gerente de Projetos Alessandro de Andrade, a atitude inovadora teve um significado ainda mais especial. Andrade rompeu o ligamento de um dos joelhos e teve de fazer uma cirurgia em agosto deste ano, ficando impossibilitado de dirigir durante três semanas. Com o projeto Carona Solidária, conseguiu ser acolhido pelos colegas de trabalho em um meio de transporte diário. “Mesmo agora já podendo dirigir continuo no grupo, pois achei muito legal e diferente de outras caronas que já participei, com horário fixo. Você pode manter a sua rotina e conhecer mais as pessoas que estão perto”, comemora.

O especialista em homologações de motores na América Latina da FPT Industrial, Gustavo Teixeira, reforça que o uso racional dos carros colabora para a fluidez do trânsito e o meio ambiente, reduzindo as emissões deCO2 e poluentes atmosféricos como óxidos de nitrogênio, monóxido de carbono e hidrocarbonetos não queimados. “Cada carro emite uma média de 100g de CO2 por quilômetro rodado”, afirma o especialista.

Menos carros nas ruas, menos níveis de emissões e a possibilidade de encontrar colegas fora do ambiente de trabalho geram qualidade de vida. A racionalidade e a flexibilidade vêm ao encontro do espírito de inovação da FPT Industrial, um dos maiores fabricantes de motores do mundo.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta