BYD alcança a marca de 1.000 ônibus elétricos comercializados na América Latina

ônibus elétricos

A BYD já vendeu mais de mil ônibus elétricos na América Latina, tornando-se líder na promoção e implementação de transporte público eletrificado em toda a região. Com um total de 1.035 ônibus vendidos até hoje, a empresa cobre 71% do mercado local de ônibus elétricos puros, cortando 222 toneladas de emissões de CO2 – com uma operação média diária de 200 km por ônibus – o que equivale a plantar 18.520 árvores.

BYD América Latina

O Chile lidera o ranking com 285 ônibus elétricos, a maior frota do continente. A operação dos primeiros 100 ônibus elétricos da BYD começou em 15 de dezembro de 2018, pela Enel e pela Metbus. Após um ano, a frota percorreu 4,5 milhões de quilômetros desde a sua implantação, atendendo a mais de 13 milhões de usuários e fez 160 mil viagens, economizando 21 toneladas de emissões de CO2.

“Essa conquista representa nosso compromisso com um mundo mais limpo e sustentável, alinhado com a promessa que o Chile fez: que até 2040 todo o transporte público seja elétrico. Acreditamos que nosso país tem todas as condições certas para reduzir esse período ”, disse Tamara Berrios, gerente nacional da BYD Chile.

Essa experiência procurou ser replicada em outras partes da América Latina. Somente em 2019, na cidade de Guayaquil, Equador, lançou sua primeira frota de 20 ônibus elétricos BYD; em Mendoza, Argentina, foi lançada uma frota de 16 ônibus BYD, enquanto a BYD também entregou 15 ônibus em São Paulo, Brasil. Na Colômbia, os 64 ônibus elétricos da empresa entraram em operação, com a BYD também vencendo a licitação para 379 ônibus elétricos, que iniciarão as operações no sistema de transporte público de Bogotá no próximo ano.

BYD América Latina

Embora a China mantenha a liderança do mercado global, a América Latina mostrou um rápido crescimento em 2019. As vendas atuais de ônibus elétricos no transporte público latino-americano atingiram 1.462 unidades no final de 2019 e a maioria envolve BYD, com 71% de participação no mercado na região.

A América Latina está estudando novos regulamentos e modelos comerciais que podem facilitar a implementação de veículos elétricos, impulsionando a transição para formas de transporte mais limpas e sustentáveis. Os governos locais anunciaram seus compromissos de eletrificar seus transportes públicos.

O Chile, por exemplo, anunciou a eletrificação total de suas frotas de transporte público até 2040. A Colômbia publicou sua Estratégia Nacional de Mobilidade Electrotécnica, destinada a 600.000 veículos elétricos até 2030, e o Equador anunciou que todos os novos veículos incorporados à frota de transporte público deverão ser elétricos a partir de 2025.

De acordo com a Agência Internacional de Energia, as emissões globais de transporte aumentaram apenas 0,6% em 2018 (comparado a 1,6% anualmente na última década) devido a melhorias na eficiência, eletrificação e aumento do uso de biocombustíveis. O setor de transportes é responsável por aproximadamente um quarto das emissões globais de carbono (24% das emissões diretas de CO2 provêm do uso de veículos de combustão). Os veículos rodoviários (carros, caminhões, ônibus e veículos de duas e três rodas) representam quase três quartos das emissões de CO2 dos transportes. Sem políticas agressivas e sustentáveis, as emissões de dióxido de carbono podem dobrar até 2050, por isso é necessário estabelecer um sistema coerente de incentivos para impulsionar a implementação dessas políticas e reduzir as emissões.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta