Brado prevê expansão de 30% na movimentação de contêineres

brado

A 24ª edição da Intermodal South America foi a vitrine escolhida pela Brado para anunciar em primeira mão ao mercado seus projetos e projeções de crescimento para 2018. A companhia participa pelo oitavo ano consecutivo da feira que será aberta para o público amanhã e vai até dia 15 de março, no São Paulo Expo, em São Paulo.

O último ano foi essencial para a reestruturação nacional da Brado, empresa de inteligência logística que assumiu o desafio de utilizar, de maneira eficiente, a infraestrutura brasileira para movimentação de volume crescente de contêineres. Com trens, terminais e armazéns mais direcionados a rotas como Rondonópolis (MT)-Santos (SP) e Cambé (PR)-Paranaguá (PR), a Companhia prevê crescimento de 30% em sua atuação em 2018.

Essa estimativa considera o quadro econômico e a necessidade de o País aproveitar os benefícios do modal ferroviário na movimentação de contêineres, avalia do diretor Comercial e de Operações da Brado, Marcelo Saraiva. “Devemos passar dos cerca de 60 mil contêineres que movimentamos no ano passado para 77 mil contêineres cheios em 2018”, projeta.

O Brasil ainda utiliza pouco sua infraestrutura para movimentação interna de contêineres, um quadro que vem mudando a partir de novos contratos. “A participação do mercado interno e das importações nos negócios da Brado, que neste ano está em 20%, deve chegar a 30% no próximo ano”, acrescenta Saraiva. Essas operações têm como foco o ciclo completo da composição em circulação. O trem faz todo o caminho cheio de carga, tanto na ida quanto na volta.

Abastecimento e exportação

Em 2017, a Brado se reestruturou para se adaptar da melhor maneira à realidade econômica do Brasil. Concentrou serviços de movimentação logística de contêineres em rotas de longa distância – muito utilizadas pelo agronegócio – que atraem cada vez mais empresas do setor atacadista. Com isso, as ferrovias passaram a atender também o abastecimento de centros de consumo como Rondonópolis e Cuiabá, no Mato Grosso e a região da capital paulista.

Contêineres que eram movimentados vazios de regiões portuárias para centros populosos do interior do País agora transportam alimentos, produtos de limpeza e uma série de outros bens de consumo, boa parte produzida em indústrias brasileiras. A operação de “round trip” ou ciclo completo, permite um melhor aproveitamento da infraestrutura ferroviária, tornando os fluxos mais sustentáveis e viáveis.

Além da entrada de novos produtos na logística multimodal de contêineres, os setores tradicionais também contribuem para a previsão de crescimento de 30% na atuação da Brado. “A exportação de grãos em pequenos lotes, por exemplo, vem se expandindo. A utilização de contêineres confere muito mais segurança e qualidade a essas operações. Estamos preparados para crescimento ainda na movimentação de commodities como açúcar e carnes congeladas, a partir de São Paulo, Mato Grosso e Paraná”, acrescenta Saraiva.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta