No maior aporte de sua história, Bosch investe 1 bilhão de euros ao se preparar para o futuro

Bosch investe 1 bilhão de euros

Na concepção de futuro da Bosch, a mobilidade está baseada no tripé automatização, eletrificação e conectividade. Para a multinacional, isso significa que o desenvolvimento de tecnologias se dá com foco na direção autônoma por meio da automatização de sistemas cada vez mais limpa e eficiente. Com a integração à “Internet das Coisas (IoT)”, os veículos vão ser capazes de se comunicar com diversos tipos de transportes e também com as casas inteligentes, tudo por meio da conectividade.

Certo desse futuro cada vez mais perto, a empresa anunciou recentemente a construção de uma fábrica de semicondutores na Alemanha na qual aplicará 1 bilhão de euros – maior investimento da multinacional em seus 130 anos de história – para produzir chips em discos de silício de base de 12 polegadas para atender tanto à crescente demanda gerada pela IoT quanto às aplicações no setor da mobilidade. A produção começa em 2019.

“Os semicondutores são os principais componentes de todos os sistemas eletrônicos”, afirmou Volkmar Denner, CEO mundial da Bosch. “Com o crescimento da conectividade e da automação, eles serão cada vez mais aplicados em diferentes áreas. Ao ampliar nossa capacidade de produção, estamos adquirindo uma base sólida para o futuro”, reforçou. De acordo com estudo da PricewaterhouseCoopers, o mercado mundial de semicondutores deverá crescer mais de 5% ao ano até 2019 com o fortalecimento dos segmentos de mobilidade e da Iot.

O Grupo Bosch anuncia que vem atuando fortemente para oferecer soluções multimodais atreladas às vertentes da automatização, eletrificação e conectividade. Na visão da empresa, essas tecnologias  vão tornar a condução mais segura, econômica, confortável e com menor impacto possível ao meio ambiente.

De acordo com o presidente da empresa no Brasil, Besaliel Botelho, a Bosch vem investindo muito no conceito da indústria 4.0, em que os processos de produção também estão conectados – a empresa alemã tem sua própria nuvem de armazenagem de dados. “A conectividade é uma tendência muito claro e a Bosch tem atuado fortemente par fazer esse futuro acontecer”, disse.

Análises da empresa estimam que cerca de 15% de todos os carros novos fabricados em todo o mundo terão um powertrain híbrido até 2025 – sistema que une o veículo a combustão à eletricidade. Os avanços tecnológicos da bateria são a chave para baixar o preço desses veículos.

Segundo esses prognósticos, até 2020 as baterias irão fornecer o dobro de densidade energética pela metade do custo atual. Com o apoio da parte elétrica, os motores à combustão do futuro irão consumir muito menos combustíveis e serão ainda mais limpos. O torque adicional do motor elétrico irá adicionar mais prazer ao ato de dirigir. Além disso, a queda dos preços das baterias irão tornar os híbridos consideravelmente mais acessíveis.

Uma pesquisa realizada pela Bosch prevê que o aumento da automação, por exemplo, pode ajudar a reduzir ainda mais os índices de acidentes, pois torna o tráfego rodoviário mais seguro e eficiente. Em situações críticas, a tecnologia correta pode salvar vidas.

As novas tecnologias vão direcionar cada vez mais o mercado automotivo para a principal tendência do futuro, que são os veículos autônomos. Neste sentido, a Bosch é uma especialista em todas as tecnologias necessárias para a direção autônoma, que incluem não apenas freios, direção e powertrain, mas também sensores, sistemas de navegação e soluções de conectividade para dentro e fora do carro.

O carro do futuro também terá um novo conceito dentro do contexto de mobilidade conectada, passando a atuar como assistente pessoal.  Com a direção automatizada, os motoristas terão um número maior de funções de infoentretenimento à disposição no display do veículo do que quando estão dirigindo por conta própria.

Graças à conexão da internet, os motoristas podem rever compromissos ou planejar viagens, por exemplo. Com o aplicativo de casa inteligente da Bosch permite que os motoristas operem suas residências à distância, observando o que está acontecendo em torno da casa ou verificando se existe comida suficiente no refrigerador. Com o toque de um único botão, o aplicativo pode transmitir a lista de compras diretamente para o mercado.

Outra importante alavanca de inovação na Bosch neste cenário e que também rege os atuais desenvolvimentos da empresa é a crescente interconectividade das pessoas e dos produtos por meio da internet, bem como os novos serviços e modelos de negócios resultantes dessa conexão – a Internet das Coisas e serviços – que vão tornar a vida das gerações futuras mais segura, simples e eficiente.

Acidentalidade reduzida

Com o desenvolvimento de sistemas de assistência ao condutor e direção autônoma, por exemplo, a Bosch está trilhando um importante objetivo que é cooperar para um trânsito livre de acidentes. Veículos elétricos, autônomos, big data e modelos diferentes de serviços de mobilidade, que irão melhorar a segurança e a experiência do usuário, estão entre as tendências que atuarão fortemente na conservação dos recursos, proteção ambiental, eficiência energética, segurança e conforto.

Além disso, por meio da comunicação entre o carro e o motorista, no futuro a interface homem máquina (HMI) desempenhará um papel cada vez mais importante no carro – especialmente quando se trata de direção autônoma. Com isso, o motorista poderá saber, por exemplo, se a direção autônoma é possível em uma rota específica.

A Bosch desenvolveu um sistema que “entrega” a responsabilidade pela direção ao carro, Para isso, o motorista deverá pressionar dois botões no volante durante vários segundos. Durante a condução autônoma, a HMI mostra ao motorista o que os sensores detectam ao redor do veículo e qual é o tempo remanescente até que o motorista deva voltar a dirigir.

Soluções

A Bosch é responsável pelo desenvolvimento de diversos sistemas que já estão instalados em inúmeros automóveis e que serão essenciais nos carros do futuro. Dentre as diversas tecnologias, é importante destacar o Programa de Estabilidade (ESP®), que é a base tecnológica para muitos dispositivos, e que se tornará obrigatório no Brasil em todos novos projetos de veículos fabricados ou importados a partir de 2020.

Por conta disso, os sistemas de assistência ao condutor, como a Frenagem Automática de Emergência, também estão cada vez mais próximos dos usuários no país. Sem contar as soluções de segurança ativa, como o Sistema Antibloqueio de Frenagem (ABS).

Considerando os conceitos que norteiam a mobilidade do futuro, também já são realidade em alguns modelos de veículos comercializados o assistente de estacionamento (Park Assist), o sensor de ultrapassagem, a regulagem automática de farol, o piloto automático adaptativo de distância e velocidade (ACC), assistente de visão lateral, sistema de telemática avançado que oferece ao motorista serviços de emergência, segurança, navegação, concierge e conectividade em um único dispositivo.

Também existe a Câmera de Múltiplas Funções (MPC), que reconhece as faixas de rolagem na pista e alerta o motorista quando o veículo muda de faixa de forma não intencional, por exemplo. Para isso, são necessários dois recursos adicionais: um sensor localizado na traseira do carro para detectar os veículos que se aproximam de forma mais rápida e um mapa de navegação dinâmico.

A atualização do mapa ocorre por meio de uma conexão de rede móvel, mantendo o motorista informado sobre as condições das estradas e das restrições de velocidade local. Embora o motorista permaneça responsável pela condução, ele pode se limitar a monitorar as ações por meio do sistema de assistência.

Além disso, diversas tecnologias estão sendo desenvolvidas para aprimorar a condução autônoma: como as câmeras Near-range e Vídeo Stereo, os radares Mid-ranger, Mid/long-range e Long-range, sensores de velocidade e ultrassônico, i-Booster e o sistema Servoletric.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta